imagem google

Benjamin Steinbruch: ‘após o Carnaval é preciso propostas claras para a economia’

Em artigo jornal Folha de S.Paulo, o vice-presidente da Fiesp questiona as várias indefinições na política econômica que cria um clima de incertezas

Agência Indusnet Fiesp

“Aguas de Março”, a famosa canção de  Tom Jobim, foi escolhida pelo vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Benjamin Steinbruch, para explicar o que se espera do Brasil após o Carnaval.

Em seu artigo, publicado nesta terça-feira (28/01) no jornal Folha de S.Paulo, ela o desejo de que se abra um período com mais claridade e limpidez nas decisões sobre os rumos da economia no Brasil. “O governo atual precisa deixar claro se vai manter essa política mais ou menos liberal em um eventual segundo mandato. Dizer se vai continuar com a titubeante política de desonerações, se vai recuar na política monetária que colocou o país novamente entre os campeões mundiais do juro alto e, enfim, se pretende, de fato, dar prioridade ao crescimento da economia e do emprego”, afirma.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542318385Steinbruch também alerta que sempre há o risco de análises econômicas estarem “contaminadas” por intenções eleitorais: “O país não vai tão bem quanto diz o governo e nem tão mal quanto propagam a oposição e os analistas neoliberais”.

Para arrematar, Steinbruch dá um recado aos candidatos: “O ideal é que, quando Março chegar e o Carnaval acabar, aqueles que vão participar da campanha eleitoral comecem a apresentar suas propostas práticas para a condução da economia. É bom lembrar que formulações genéricas e medo de explicitar as próprias convicções sobre temas polêmicos, como aconteceu com a proposta de privatização na campanha de 2010, por exemplo, não formam opinião e não conquistam eleitores”.

Para ler o artigo na íntegra, acesse o site do jornal Folha de S.Paulo.