imagem google
Início do conteúdo

Ometto: ‘Esperamos da assembleia da ONU soluções para propiciar vida digna a todos’

Segundo vice-presidente da Fiesp expõe as expectativas do setor produtivo em torno dos debates sobre o Clima Global

Agência Indusnet Fiesp

No artigo “Vida digna para todos, publicado no jornal Folha de S.Paulo desta segunda-feira (25/08), o 2º vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), João Guilherme Sabino Ometto, avalia as conquistas dos debates sobre as medidas necessárias para conter e minimizar efeitos das mudanças climáticas.

Ele menciona a primeira Assembleia Ambiental das Nações Unidas (Unea), realizada em Nairobi, no Quênia, em junho deste ano, sob o tema ‘Uma vida digna para todos’. “Foi um marco no sentido de posicionar o setor ambiental no mesmo status das preocupações com a paz, a segurança, o comércio e a saúde”.

E além disso, “foi uma grande oportunidade para a implementação das medidas estabelecidas na Rio+20, neste momento em que não se pode postergar a definição de uma agenda para depois de 2015, quando expira o prazo dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)”, afirma Ometto, coordenador do Comitê do Clima da entidade.

Ele relembra que a Fiesp, como participante oficial das conferências do clima desde sua primeira edição, espera que o acordo inclua o passivo das emissões e os princípios de equidade entre os países.

O 2º vice-presidente da Fiesp também ressalta no artigo a posição do setor produtivo sobre o tema. “Defendemos, ainda, que as decisões ligadas à agropecuária garantam a segurança alimentar e os sistemas produtivos, mas sem medidas disfarçadas que permitam a adoção de barreiras ao comércio. Quanto à preservação das florestas, entendemos que as negociações devam centrar-se no financiamento e nas práticas de mensurar, reportar e verificar projetos, contemplando, também, propriedades privadas”.

Ometto destacou, ainda, que o Brasil vem fazendo sua parte e até antecipado os resultados nas ações de proteção ao clima, como a superação as metas de redução do desmatamento e o próprio novo Código Florestal, e que a indústria brasileira espera “a assembleia ambiental da ONU resulte em soluções eficazes e decisivas para propiciar vida digna a todos”.

Para ler o artigo na íntegra, acesse o site do jornal Folha de S.Paulo (sujeito ao sistema Pay pal)