imagem google

Olimpíada do Conhecimento tem modalidade de inseminação artificial em animais

Nesta sexta-feira (05/09), após cumprirem outras etapas da prova, alunos fazem inseminação em vacas

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp, de Belo Horizonte (MG)

A edição nacional da Olimpíada do Conhecimento em Belo Horizonte, recebe pela primeira vez em sua arena de competição, no centro do convenções da Expominas, um grupo de 14 estudantes de engenharia pecuária e agrícola para provas em três novas modalidades. A que mais chama atenção é o espaço de inseminação artificial em animais, local que, além dos alunos, abriga as vacas a serem inseminadas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542485415

Antes de fazer a inseminação artificial na vaca, os competidores treinam para lidar com os animais. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

As três novas ocupações inseridas na Olimpíada este ano são fruto de uma parceria do Departamento Nacional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) com o Instituto Federal de diversos estados.

“É a primeira vez que participo da Olimpíada do Conhecimento e estamos buscando nos adequar ao sistema de provas”, explica o avaliador do Instituto Federal do Espírito Santo, Nilson Nunes Morais Júnior.

Embora não tenha na prova nenhum participante de São Paulo, Morais Júnior reconhece que a capital paulista é referência em tecnologias de inseminação artificial. “O nosso objetivo é ser como São Paulo.”

Antes de fazer a inseminação artificial na vaca, os competidores, a maioria de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Piauí, treinam para lidar com os animais. São 15 minutos que cada participante passa preparando e conhecendo o animal que vai inseminar.

Em uma outra prova o competidor treina em manequins como introduzir o aplicador de sêmen no aparelho reprodutivo do animal. Um braço é introduzido no reto do animal de modo a preparar o local exato de inseminação do sêmen, geralmente de um boi de linhagem sofisticada, que será colocado com um aplicador introduzindo desde a vagina do animal até a região mais intacta do aparelho reprodutivo, ou seja, a região limpa, explica Júnior.

“O objetivo da inseminação artificial é de melhoramento genético e ganho de produtividade. Indiretamente a qualidade da carne e do leite vai melhorar também”, esclarece o avaliador.

Os competidores, todos estudantes de institutos federais, também são responsáveis por descongelar o sêmen, preparar materiais como o aplicador, pinça e luvas.

Nesta sexta-feira (05/09), depois de todas as etapas cumpridas, os 14 competidores da modalidade fazem a inseminação em vaca em curral montado nas dependências da Olimpíada do Conhecimento.

Olimpíada de realização

O avaliador Nilson Júnior se mostrou bastante impressionando o nível de execução das provas da Olimpíada do Conhecimento.

“Aqui a realização exige um nível de conhecimento teórico que achei incrível. Mas aqui o cara tem de mostrar que conhece muito bem aquilo que ele está fazendo”, afirma.  “Essa Olimpíada é diferente na execução e na maneira de resolver o problema.”

Com mais de 800 alunos participantes em 58 modalidades, a Olimpíada do Conhecimento chega ao fim neste sábado (06/09) e os vencedores da oitava edição nacional do torneio serão conhecidos neste domingo (07/09).