imagem google

“O valor de uma empresa está nas pessoas”, afirma palestrante em evento do NJE do Ciesp

Luiz Trivelatto apresentou método com 12 passos para implantar ideias empreendedoras para posicionar uma empresa no mercado

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

Gestão significa cuidar. E é necessário cuidar das pessoas, em primeiro lugar, inclusive no âmbito empresarial. O valor de uma empresa está nas pessoas, sejam as que operam máquinas, as que cuidam de processos ou atuam em qualquer outra função. Com esses conceitos o administrador e empresário Luiz Trivelatto deu início à apresentação “Gestão de mudanças que geram valor”, na palestra mensal do Núcleo dos Jovens Empreendedores do Ciesp (NJE-Ciesp), nesta quinta-feira (21/5).

“Precisamos pensar em algo que gera valor, que parte de algo que não existe, ou que estava ali e ninguém percebeu. A gestão de mudanças resgata esses valores”, afirmou. Trivelatto explicou que gestão de mudanças é o gerenciamento dos impactos das transformações nas pessoas, mas que existem muitos entraves para que isso aconteça de forma eficaz.

“Uma plataforma de TI que não funciona ou a dificuldade de uma empresa em negociar contratos corretamente, por exemplo, não são motivos para que mudanças não aconteçam. As mudanças não acontecem devido à resistência dos funcionários e da cultura empresarial a que estamos acostumados”, justificou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545193309

Luiz Trivelatto: “Ferramentas não resolvem problemas, apenas potencializam soluções, pois os problemas estão nos indivíduos”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ele explica que frequentemente é muito difícil operar mudanças em empresas porque estamos acostumados com a ideia de que ferramentas são suficientes para a resolução de problemas. “Ferramentas não resolvem problemas, apenas potencializam soluções, pois os problemas estão nos indivíduos”, destacou o empresário.

Para isso, segundo ele, é necessário entender com quais tipos de mudanças estamos lidando (administrativa, organizacional, modelo de negócios, inovações, entre outras) e quem são os clientes envolvidos nesses processos. Os clientes podem ser internos, que são os funcionários, intermediários e externos, e um depende do outro. Trivelatto evidenciou que as mudanças dependem muito dos funcionários. “Os funcionários não podem se sentir desestimulados e precisam confiar na empresa. Com pessoas engajadas, as coisas funcionam muito melhor”, disse.

De acordo com o palestrante, as empresas precisam ter metas claras, mostrando para os funcionários o objetivo que eles precisam alcançar. “As pessoas precisam ver o resultado, mesmo que seja uma parcela dele, para não ficarem desmotivadas.” Ele afirmou ainda que é ideal enxergar o que foi feito, recompensando o esforço de todos os envolvidos, e não destacar somente as falhas.

Trivelatto, que é coordenador do NJE Sul, apresentou um método com 12 passos sobre como implantar ideias empreendedoras para posicionar uma empresa no mercado. Veja a seguir:

12 passos para gestão de mudanças:

1- Identificar quem é o agente de mudanças.

2- Analisar os recursos disponíveis.

3- Observar a capacidade de troca.

4- Criar uma equipe líder.

5- Conhecer Missão, Visão e Valores da empresa.

6- Organizar tarefas e pessoas.

7- Motivar os funcionários.

8- Levantar as competências de implantação

9- Mensurar realizações de curto e longo prazo.

10- Consolidar os resultados.

11- Promover uma mudança cultural.

12- Proporcionar à empresa um crescimento sustentável.