No Vale do Silício, Skaf critica burocracia por tirar liquidez e valor das empresas brasileiras

Agência Indusnet Fiesp

Após visita à Intel, maior fabricante de microprocessadores do mundo, o presidente da Fiesp e da Ciesp, Paulo Skaf, analisou as razões para não haver no Brasil mercado de compra e venda de empresas semelhante ao dos Estados Unidos. “A burocracia brasileira e a insegurança jurídica assustam o investidor estrangeiro. Aqui não há nada disso, por isso as empresas têm liquidez e valor alto.”

Um ponto em que Skaf vê melhora é o trabalhista, com a entrada em vigor em novembro da modernização da CLT.

A visita à Intel, no dia 20 de outubro, foi parte de uma série que incluiu também o Centro de Pesquisas da Nasa. Skaf integrou a missão brasileira ao Vale do Silício, região da Califórnia (EUA) que concentra empresas de tecnologia.

Paulo Skaf na sede da Intel, no Vale do Silício. Foto: DIvulgação/Fiesp

 

Após visita nesta terça-feira (17 de outubro) ao Instituto de Pesquisa da Stanford University, no Vale do Silício (Califórnia), Skaf, revelou que negociará uma parceria entre o instituto e o Senai-SP, que também preside, para atender às demandas da indústria de São Paulo.

Outra empresa visitada foi o Facebook, gigante do setor de tecnologia, também na programação da missão brasileira ao Vale do Silício. Skaf também visitou o Centro de Inovação da Ford. Leonardo Nogueira, vencedor do Super Acelera Fiesp que participa da missão, disse que foi uma experiência incrível ter conhecido todo o processo de mudança da empresa para o futuro.

“Discutimos o futuro do automóvel, mobilidade urbana, carro elétrico, o etanol brasileiro”, afirmou Skaf ao sair do Centro de Inovação da Ford.

Skaf visitou também, no dia 16 de outubro, a sede do Google, no Vale do Silício. Além de participar de reuniões, conheceu aplicativos ainda não disponíveis no Brasil. Ao sair, Skaf disse que o objetivo da visita era “levar ideias para aplicar nas escolas do Sesi-SP e do Senai-SP, nas nossas empresas e nossas entidades”.