imagem google
Início do conteúdo

Muito treinamento e foco para vencer na WorldSkills São Paulo 2015

Alunos do Senai-SP se preparam para a principal competição de formação profissional do mundo com jornadas de até 12 horas de treinos por dia. Evento começa no dia 12 de agosto, no Anhembi

Isabela Barros

Não importa que sejam necessárias 12 horas de treinamento por dia, muitas vezes até nos finais de semana. Nem que a pressão só tenda a aumentar nos próximos dias. É com alegria que os participantes da WorldSkills São Paulo 2015, a principal competição de formação profissional do mundo, falam da disputa. E do esforço para chegar ao final do torneio, que será realizado entre os dias 12 e 15 de agosto no Pavilhão de Exposições do Anhembi, com uma medalha de ouro pendurada no peito. O evento reunirá 1,2 mil competidores de 60 países. Fazem parte desse time quatro alunos da Escola Senai Suíço-Brasileira Paulo Ernesto Tolle, no bairro de Santo Amaro, na capital.

“Treino entre dez e 12 horas por dia há três meses”, conta Danilo Rodrigues Oliveira, de 20 anos, aluno da unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e concorrente da ocupação Redes de Cabeamento Estruturado na WorldSkills São Paulo.

Oliveira: 12 horas de treinamento todos os dias

Oliveira: 12 horas de treinamento todos os dias. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Aluno do curso de Redes de Computadores na Suíço-Brasileira entre 2011 e 2013, ele está disposto a trazer uma medalha inédita para o Brasil em sua modalidade. De tanto treinar, diz que já não se sente mais tão nervoso com a proximidade do torneio. “Essa preparação vai nos deixando mais seguros”, explica. “E universidade nenhuma poderia me dar o embasamento técnico e as oportunidades que o Senai-SP me deu”.

Dieta e foco na solução de problemas

Em preparação para a WorldSkills desde março de 2013, Carlos Eduardo Camargo de Araújo Silva, de 19 anos, adora solucionar problemas. Depois de fazer o curso técnico em Redes de Computadores na Suíço-Brasileira, ele se prepara para tentar uma medalha na ocupação Design Gráfico.

“Na prova, temos que executar, em seis horas, projetos que, no mercado, podemos levar até oito meses para concluir”, explica.

Para chegar à disputa firme e forte, Silva treina oito horas por dia. E cuida da saúde para que nada o atrapalhe no Anhembi. “Fiz dieta e ganhei 16 quilos de massa magra”, conta.

Tanto foco rumo ao primeiro lugar se justifica: Silva tem familiaridade com o topo do pódio. “Tenho mais de 80 medalhas de ouro em casa, do tempo em que participava de competições de natação, dos sete aos 15 anos”, conta.

Lição de paciência

Além de aprenderem a ter foco, os talentos do Senai-SP que se prepararam para encarar a WorldSkills têm a oportunidade de aprimorar, ainda, a habilidade da paciência enquanto esperam pelo torneio. Que o diga o competidor na categoria Soluções de Software para Negócios Patrick Ens, de 20 anos.

“Aprendi a ter paciência, a treinar muito e a ser companheiro”, conta ele.

Aluno da Suíço-Brasileira desde 2011, quando entrou no curso de Redes de Computadores, ele destaca o fato de “nunca ter aprendido nada que fosse inútil” na instituição. Um conhecimento que ele hoje aplica em suas 12 horas diárias de preparação para a disputa no Anhembi. “O clima é de seriedade e de vontade de fazer o melhor”, diz. “Não tenho outra meta hoje além de conseguir uma medalha de ouro na WorldSkills”.

Ens: seriedade e vontade de vencer. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ens: seriedade e vontade de vencer. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Além da teoria

Também determinado a chegar em primeiro lugar, Giovanni Shiroma, de 22 anos, se prepara para a prova de Web Design desde 2013, seguindo uma rotina diária de 12 horas de treino.

Aluno da Suíço-Brasileira desde 2011, quando entrou no curso de Redes de Computadores, ele destaca o fato de que, na instituição, teve aulas que foram muito além da teoria. “A teoria só faz sentido quando a gente pratica”, afirma.

Assim, ele se prepara para “saber lidar com a pressão e organizar o tempo de execução das provas”. “Na prática, nem eu nem ninguém desenvolve um site em duas horas e meia”, explica.

Shiroma: habilidade para lidar com a pressão. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Shiroma: habilidade para lidar com a pressão. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Independentemente do tamanho do desafio, Shiroma e seus companheiros de Senai-SP estão prontos para brilhar diante do mundo quando a WorldSkills começar.