imagem google

MPI: “Quem liga as máquinas também sabe desligá-las”, afirma Skaf

Presidente da Fiesp volta a defender corte nos gastos públicos e manutenção da desoneração da folha

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O ajuste fiscal é problema do governo. Quando se gasta mais do que se ganha, tem de equilibrar as contas, afirmou nesta segunda-feira (25/5) o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf. Ele voltou a dizer que a indústria vai “desligar as máquinas” se houver aumento dos impostos.

Skaf participou da abertura do 10º Congresso da Micro e Pequena Indústria (MPI), organizado pelo Departamento da Micro e Pequena Indústria (Dempi) da entidade.

“Com o ajuste fiscal, se fala novamente em aumentar impostos, eu penso que isso é problema do governo. Com previsão de crescimento negativo de 2% da economia brasileira e queda de 5% da indústria, é difícil aumentar arrecadação. O governo tem de cortar suas despesas”, disse ele durante o encontro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542378605

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp, fala em congresso da micro e pequena empresa. Foto: Ayrton Vignola


Na sexta-feira (22/5), o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, anunciou mais uma fase do ajuste fiscal, que deve resultar em um corte de R$ 69,9 bilhões no orçamento. A administração ainda estuda o aumento do imposto sobre a receita bruta de 1% para 2,5%, e dos atuais 2% para 4,5%.

O presidente da Fiesp voltou a afirmar que o setores produtivos “não vão aceitar nenhum tipo de aumento de imposto”. Ele reiterou que não há espaço para aumentar impostos e juros em meio à falta de demanda no setor industrial.

“Não vamos aceitar nenhum tipo de aumento de imposto. E, se houver, vamos desligar as máquinas sim”, disse Skaf. “E quando eu digo que quem sabe ligar as máquinas também sabe desligar há muita profundidade nisso. Temos de repetir isso pelo Estado”.

>>Ouça o boletim sobre o Congresso MPI