imagem google

Mais de 11% das áreas de pastagens brasileiras estão em estágio degradado

Expedição percorreu 55 mil quilômetros pelo país avaliando condições de pastagens. Este ano, produção de carne bovina deve crescer 4%

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Mais de 11% das áreas de pastagens visitadas pelas equipes do Rally da Pecuária,  expedição de especialistas que analisa a qualidade das pastagens a da produção pecuária na maior parte dos estados do país,  apresentaram estágio avançado de degradação ou estão degradadas, o que significa uma necessidade de intervenção para reforma ainda este ano ou nos próximos 24 meses. A afirmação foi feita,  na noite desta quarta-feira (04/06), pelo  sócio e coordenador de Pecuária da consultoria Agroconsult, responsável pela iniciativa, Maurício Nogueira.

Segundo Nogueira, que participou do encerramento do Rally da Pecuária na Federação das Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), 9,4% das áreas de pastagens do país estão semidegradadas enquanto 2,3% estão degradadas.

“Se eu extrapolar esse resultado para a área de pastagem brasileira, estou falando de 5 milhões de hectares que teriam de ser refeitos esse ano”, explicou ele.   “E há mais 14 milhões que, em 20 a 24 meses, estariam degradadas”, avaliou.

Nogueira: necessidade de ação em até 24 meses em algumas áreas. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Maurício Nogueira, coordenador da Agroconsult, durante encerramento do Rally da Pecuária na Fiesp. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Um pasto que não volta mais 

Ao participar da cerimônia de encerramento, o sócio-diretor da Agroconsult, André Pessoa, esclareceu que o conceito de degradação aplicado durante as amostragens é de um pasto que não volta mais. “Acabou. Tem de ser reformado. E aqueles pastos em estágio avançado de degradação podem caminhar para degradados em muito pouco tempo”.

Também presente, o diretor do Departamento de Agronegócio (Deagro) da Fiesp, Benedito da Silva Ferreira, reiterou a urgência em rever a utilização de áreas dedicadas à pastagem.

“Fala-se muito da possibilidade de avançarmos de forma expressiva a produção agrícola em áreas de pastagens, mas a pergunta fundamental é:  como está o nível de degradação desses pastos? Será que uma pecuária muito bem produzida é capaz de entregar resultados econômicos parecidos com os de uma lavoura de soja, por exemplo?”, questionou o diretor da Fiesp.

Ferreira: pecuária equivalente à produtividade dos grãos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ferreira: pecuária equivalente à produtividade dos grãos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Segundo Nogueira, a expedição deste ano verificou um incremento acima do esperado de plantação de grãos em áreas anteriormente usadas para pastagens em regiões como o sul do Pará. “Estamos vendo muito mais soja em regiões nas quais nem esperávamos que fossem plantar tão cedo. Na medida em que a gente passava pela estrada, víamos muito milho safrinha plantado com bastante toco de lado na cerca, mostrando que aquilo era pasto até o ano passado ou retrasado”, contou o coordenador da Agroconsult.

Infraestrutura

O Rally da Pecuária percorreu 55 mil quilômetros pelo país e, segundo Nogueira, mais de 40% das estradas apresentaram deficiências de infraestrutura.

“Muitas vezes a gente se deparava com estrutura precária. Infelizmente, por questões de logística e custo, não conseguimos ir em regiões do Rio Grande do Sul com muitos rebanhos, regiões do Acre e no nordeste do Pará, mas no futuro pretendemos ir”, contou.

O presidente em exercício da Fiesp, Benjamin Steinbruch, acompanhou parte da apresentação dos resultados do Rally da Safra. Além dos entraves de logística, ele mencionou o preço da arroba, que na véspera ficou estável, em R$ 120 à vista, segundo a Scot Consultoria. “O preço está bom, mas poderia estar melhor. Está razoável”, disse.

Steinbruch: preço razoável da arroba. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Steinbruch: preço razoável da arroba. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Produção

Segundo a Agroconsult, a produção de carne bovina do Brasil deve registrar um incremento de 4% este ano, para 10,65 milhões de toneladas (equivalente carcaça).

Nogueira ponderou, no entanto, que as demandas local e externa devem ser suficientes para absorver esse crescimento. “Mesmo assim a demanda vai ser suficiente para manter os preços nos patamares mais elevados que estamos vivendo”, acrescentou.

O Rally da Safra entregou 415 questionários, realizou 76 entrevistas completas com produtores e promoveu 12 eventos regionais. A expedição que atingiu pelo menos 1.100 pecuaristas se encerrou na noite desta quarta-feira (04/06), na sede da Fiesp.

Feito bandeirantes

Ometto: informações para melhorar a competitividade da carne brasileira. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ometto: informações para melhorar a competitividade da carne brasileira. Foto: Everton Amaro/Fiesp

De acordo com segundo vice-presidente da entidade, João Guilherme Sabino Ometto, ao menos 30% dos sindicatos da Fiesp são ligados à cadeia do Agronegócio.

“Queremos prestigiar o trabalho que os profissionais da Agroconsult têm feito, saindo como verdadeiros bandeirantes entrando pelo Brasil e trazendo todas as informações para melhorar a competitividade da carne, o abastecimento e a segurança alimentar do país”, disse Ometto.