imagem google
Início do conteúdo

Liderança das mulheres e atuação socioambiental da indústria são discutidas na Fiesp

Dois temas foram alvo de debates na reunião do Conselho Superior de Responsabilidade Social da Fiesp

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Na manhã desta quinta-feira (03/04), foi realizada na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) a reunião do Conselho Superior de Responsabilidade Social (Consocial) da entidade.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537827760

Reunião do Conselho Superior de Responsabilidade Social da Fiesp. Foto: Tâmna Waqued/FIESP


A reunião contou com a participação especial do sociólogo e professor de relações sindicais da Universidade de São Paulo (USP), José Pastore; do também sociólogo e ex-deputado federal, Paulo Delgado; e da embaixadora Maria Celina de Azevedo Rodrigues, diretora titular adjunta do Departamento e Infraestrutura (Deinfra) da Fiesp.

Na abertura do encontro, o vice-presidente da Fiesp, Nilton Torres de Bastos – que também ocupa a vice-presidência do Consocial e é diretor titular do Comitê de Responsabilidade Social (Cores) da entidade – explicou que a atuação de todas as áreas da Fiesp sempre está alinhada aos interesses da indústria e às necessidades da sociedade. “O presidente da Fiesp sempre diz que se é bom para o país é bom para indústria, mas primeiro tem que ser bom para o país.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537827760

Nilton Torres Bastos. Vice-Presidente da Fiesp e do Consocial. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Ele destacou a Jornada da Indústria pela Sustentabilidade, evento promovido pelo Cores que trouxe à tona as boas práticas de sustentabilidade socioambiental da indústria. E anunciou que uma nova edição do evento será realizada neste ano, além de dois workshops, nos meses de julho e agosto, nas cidades de Marília e São José dos Campos.

Nilton Torres citou o papel do Comitê em disseminar informações às indústrias e destacou iniciativas como o manual sobre Fator Acidentário de Prevenção (FAP), o boletim Sustentabilidade e uma pesquisa que vem sendo feita em conjunto com o Departamento de Competitividade (Decomtec) da Fiesp,  sobre Gestão em Responsabilidade Socioambiental e Competitividade.

O vice-presidente também relembrou as dificuldades enfrentadas pelas indústrias para atender as leis de cota para pessoas com deficiência, tema que foi alvo dos debates realizados no último dia 31, durante o Fórum Sou Capaz promovido pela Fiesp. “Em certos setores e operações, até por razões de segurança para o próprio trabalhador, não se pode contratar pessoas com nenhum tipo de deficiência”, afirmou, citando o exemplo de indústrias com equipamentos de alta precisão, como refinarias.

Mulheres e liderança

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537827760

José Pastore e embaixadora Maria Celina de Azevedo Rodrigues. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

A embaixadora Maria Celina de Azevedo Rodrigues apresentou dados sobre a participação mundial da liderança da mulher. O tema que será amplamente discutido no Woman in Latin America Leadership – W.I.L.L, que será realizado dia 10 de abril na Fiesp. 

Segundo ela, o ingresso do número de mulheres na universidades na América Latina cresceu 51% desde 1980. “Na América do Norte, para cada 100 homens há 140 mulheres que ingressam na universidade; no mundo, essa participação é de 108 mulheres e na América Latina e Caribe 127.”

Este dado é bastante positivo pois “quem educa uma menina, educa uma nação”, afirmou a embaixadora, citando o slogan da campanha da Unicef para o Dia Internacional das Meninas, celebrado pelas Nações Unidas.

Contudo, ela destacou um dado alarmante: 11% das mulheres graduadas em universidade no mundo não entram no mercado de trabalho. “Nos países nórdicos, esse percentual é de apenas 2%, enquanto que na América Latina é de 19%.”

Segundo Maria Celina esse é um grande desperdício, cujas causas precisam ser investigadas bem como medidas para reverter essa situação.

Por outro lado, ela destacou que o percentual de mulheres em cargo de liderança nas empresas vem se mantendo na média dos 24%, desde 2004. Os dados são de um estudo que avaliou apenas mulheres que ocupam cargo de liderança e que possuem nível universitário. Se avaliarem o número de empreendedoras, sem graduação universitária, esse percentual será maior.

Maria Celina destacou que o Woman in Latin America Leadership – W.I.L.L será uma grande oportunidade de debater o tema que é de relevância tanto para mulheres como mulheres, contando com a participação de grandes empresárias, como Luiza Helena Trajano (presidente do Magazine Luiza), Andrea Alvares (presidente da Divisão de Bebidas da Pepsico), Elizabeth Farina (presidente da Unica), Chieko Aoki (presidente do Blue Tree Towers Hotels), entre outras.