imagem google
Início do conteúdo

Integrantes da delegação brasileira na Worldskills visitam Sesi de Osasco

Escola recebeu a visita de 20 dos 56 brasileiros que iniciam a disputa nesta quarta-feira 12/8

Alex de Souza, da Agência Indusnet

Parte da delegação brasileira que estará na Worldskills São Paulo 2015 visitou nesta terça-feira (11/8) a escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) em Osasco. Os competidores foram recebidos no ginásio poliesportivo do Centro de Atividades (CAT) da unidade por alunos do ensino fundamental II.

O encontro fez parte do One School One Country (Uma escola, Um país), programa que leva competidores da Worldskills às escolas do país anfitrião.

A organização do evento elegeu 55 escolas de ensino fundamental da cidade de São Paulo e de seu entorno para receber os competidores de 60 países que disputarão, de 12 a 15 de agosto, o título de melhor profissional do mundo em 50 ocupações industriais e do setor de serviços.

Competidores brasileiros da WorldSkills no Sesi de Osasco. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Competidores brasileiros da WorldSkills no Sesi de Osasco. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


A Worldskills São Paulo 2015 será disputada no Pavilhão de Exposições do Anhembi. O objetivo do programa é estimular o interesse pelo ensino profissionalizante e divulgar as opções de carreiras técnicas da indústria e do comércio.

Sesi Osasco
Ao chegarem ao CAT de Osasco, os 20 jovens da equipe do Brasil foram recepcionados por 150 alunos do 6º ao 9º ano da entidade e encaminhados ao ginásio poliesportivo, onde o diretor do Centro de Atividades, David Vieira, deu as boas-vindas e desejou sorte aos competidores.

Depois da recepção e já ambientados, os competidores tiveram a oportunidade de responder a questões dos alunos sobre o ensino profissionalizante e as expectativas da delegação em relação ao torneio. Para os irmãos William e Igor Barbosa, também alunos da instituição, a visita dos competidores despertou mais interesse pelo ensino profissional.

“Muito legal saber que eles vão competir com os melhores do mundo”, afirma William, que deseja fazer algum curso profissionalizante na área química. Para Igor, a visita também aguçou seu interesse. “Quero estudar lá (Senai-SP), mas ainda não sei exatamente o que vou fazer, talvez Design Gráfico”.

Para o chefe da delegação brasileira na Worldskills, Marcelo Mendonça, esse tipo de interação é essencial para difundir a importância da formação profissional e conceder aos jovens uma nova perspectiva de possibilidades. “Essa modalidade de ensino é uma porta eficaz para o mercado de trabalho. Mais do que isso, esses jovens [da Worldskills] mostram aos mais novos que é possível construir uma carreira, com planejamento e força de vontade”, afirma Mendonça.