imagem google

Inovação está ligada à educação dos colaboradores de uma empresa, diz especialista

1º Fórum de Educação Continuada para o Mundo do Trabalho foi realizado nesta terça-feira (09/09), em São Bernardo

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Gestores de recursos humanos, empresários e profissionais da área de treinamento de empresas se reuniram na manhã desta terça-feira (09/09), em São Bernardo do Campo, para o 1º Fórum de Educação Continuada para o Mundo do Trabalho – Inovação.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542576583

Para Silveira, quanto mais cultivado for a integração e o espirito coletivo, mais a empresa se torna competitiva e sustentável. Foto: Mario Castello

O evento, promovido pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), reforçou a importância da inovação nos processos de gestão de pessoas como fator de competitividade e sustentabilidade para a indústria paulista. Além disso, foi debatida também a necessidade da formação continuada para fomentar a qualificação dos trabalhadores das empresas.

Para Marco Antonio Silveira, do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que ministrou a palestra “Viabilizando a Inovação para a Sustentabilidade Organizacional”, a inovação nos processos de gestão de pessoas é um recurso fundamental para a sobrevivência das empresas no atual e complexo mercado, funcionando para estabelecer vantagens competitivas sustentáveis sobre os concorrentes.

“Hoje, a inovação está intimamente ligada à educação continuada dos colaboradores de uma empresa”, diz.
Silveira conta que inovação não se trata apenas de tecnologia. “É introduzir algo novo em relação ao sistema. Inovação pode ocorrer em qualquer aspecto de uma empresa. É o resultado da aplicação de novos conhecimentos na empresa.”

Para ele, quanto mais cultivado for a integração e o espirito coletivo, mais a empresa se torna competitiva e sustentável. “A capacidade de uma empresa é definida pelos seus colaboradores que conseguem transformar informações em conhecimento e mobilizar esses conhecimentos na forma de competência”, afirmou.

Na visão de Silveira, a inovação, para ocorrer dentro do ambiente empresarial, precisa ter apoio de um perfil específico de gestor. “Precisamos de um perfil de gestor que fomente esse tipo de mudança de procedimento, que envolva o colaborador a se comprometer, a ser valorizado, respeitado, a estimule a dignificação da pessoa, ao envolvê-lo e trazê-lo ao processo do trabalho”.

“Gerenciar é conhecer o ser humano do nosso lado”, concluiu.

Modelo do Sesi-SP

Lívia Spiniella, relações públicas da Sense Eletrônic, empresa do ramo de automação industrial, contou como a empresa mudou a forma de se relacionar com seus colaboradores.

“Na Sense, pensava-se que a tecnologia era inovação. E isso mostrou-se errado. Não se imagina que a gestão das pessoas precisava ser trabalhada. Produto era inovador, mas a cadeia não estava inovando”, conta.

A empresa realiza um trabalho com o Sesi-SP, aplicando o modelo de sustentabilidade no trabalho elaborado pela instituição.
“Através de um questionário e de uma maior aproximação com as atividades e ideias dos colaboradores, identificamos melhor os pontos nos quais podíamos melhorar”.

“Também não tínhamos um conceito claro sobre o que era sustentabilidade. Hoje vemos a importância do bem estar do funcionário, no lucro, no desenvolvimento dos processos da cadeia”, contou.

Programa de Preparação para a Aposentadoria

Para Horlanda Cobira, consultora de recursos humanos na área de remuneração em benefícios da Gerdau, o que fomenta o crescimento são as pessoas. “Fomentado por programas educativos que contam com a partitivo das funcionas, trabalhando na formação técnica e educacional dos colaboradores”.

Uma das ações realizadas pela Gerdau é Programa de Preparação para a Aposentadoria, feita em parceria com o Sesi-SP. Segundo ela, o objetivo do projeto é que o colaborador comece a escrever seu projeto de vida. Dessa forma ele planeja com antecedência a sucessão de cargos.”

“O programa nos ajuda a fortalecer a imagem da empresa junto aos seus colaboradores e a consolidar praticas socialmente responsáveis de gestão. O Sesi-SP é um grande parceiro nesse programa inovador”, diz.

Para Sergio Moreti, diretor do Centro de Atividades (CAT) de São Bernardo, a inovação gera comprometimento, participação e, acima de tudo, uma consciência cidadã. “Com ela criamos uma possiblidade de termos muitas indústrias comprometidas com esses temas tão importantes para a melhorias da condição de vida da população.”

Para Vamberto Martinez, gerente executivo de Relações com o Mercado do Sesi-SP, a educação é um item fundamental para a melhoria de todas as esferas sociais. É também importante desmistificar a inovação. “Inovação está no comportamento humano. A tecnologia é o passo posterior.”

O evento aconteceu no Auditório Técnico da Escola Mário Amato, unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

O fórum será levado para Campinas no dia 18 de setembro. As inscrições podem ser feitas pela internet por meio do seguinte link .