imagem google
Início do conteúdo

Inflação vai cair no Brasil, afirma Guido Mantega

Segundo ministro da Fazenda, país tem condições perfeitas para reduzir inflação

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Os preços vão cair no Brasil, afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, na noite desta quinta-feira (25/04) após encontro com empresários e o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, para avaliar o desempenho econômico do país.

Segundo Mantega, os problemas que impulsionaram a inflação vieram da quebra de safra e têm reflexos da mudança cambial ocorrida no ano passado.

“A inflação vai cair no Brasil. Nós tivemos seca nos Estados Unidos que elevou os preços dos grãos, tivemos seca aqui no Brasil, tivemos uma mudança cambial ano passado que criou uma inflação momentânea naquele ano”, explicou Mantega sobre os índices de preços divulgados no ano passado.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537371644

Mantega: 'Temos condições perfeitas para reduzir a inflação no país.' Foto: Junior Ruiz/Fiesp


O Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), usado como base para as metas do governo, fechou 2012 a 5,84%. A variação mensal de dezembro ficou em 0,79%, a maior desde março 2011. Mantega, no entanto, afirma que o cenário de 2013 sugere queda dos preços.

“Nós temos condições perfeitas para reduzir a inflação no país. Este ano não está prevista seca nem nos Estados Unidos e no Brasil. O preço das commodities já estão caindo no atacado e o preço dos alimentos já caiu. Portanto, estamos com a  inflação descendente no país”, alentou.

Emprego

Mantega também demonstrou otimismo com a situação do emprego e informou que se comprometeu na reunião com empresários a analisar outros empecilhos de crescimento ao setor produtivo, entre eles o entrave de custos como o da mão de obra.

“Estamos quase com pleno emprego, os trabalhadores estão ganhando mais, mas isso significa um custo maior para alguns setores. Falta mão de obra em alguns setores, isso eleva o custo e nós estamos procurando equilibrar isso fazendo desoneração da folha de pagamento”, afirmou Mantega.  “Combinamos de analisar os vários problemas que persistem no setor produtivo para que juntos possamos dar soluções ou acelerar soluções que já foram tomadas”, garantiu.

Em março deste ano, o quadro de funcionários da indústria paulista aumentou em 13 mil vagas na comparação com fevereiro. Os dados são da pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, da Fiesp e do Ciesp. Apesar das contratações, o levantamento indicou um mês “morno” para o setor manufatureiro, enquanto as perspectivas entidade para 2013 ainda são de uma recuperação modesta.

A pesquisa apontou uma variação negativa para o emprego na indústria se considerado os últimos 12 meses. No período foram fechados 24,5 mil postos de trabalho, ou seja, um recuo de 0,93%. Já no acumulado do ano foram gerados pela indústria paulista 33,5 mil empregos, com uma variação positiva de 1,29%.

A Fiesp projeta para o ano de 2013 um aumento de 1,6% do emprego industrial no Estado de São Paulo.