imagem google
Início do conteúdo

Hackathon premia apps que fazem a diferença nas áreas de segurança, saúde e educação

Maratona de desenvolvimento de apps durou 28 horas, invadindo a madrugada. Foram vitoriosos projetos para acionar a polícia em caso de emergência, incentivar a doação de sangue e estimular o estudo em grupo

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Vinte e oito horas de trabalho e dedicação depois, veio a recompensa: foram anunciados, na tarde desta domingo (27/04), os vencedores do Hackathon, maratona de desenvolvimento de aplicativos para as áreas de saúde, educação e segurança promovida pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Na competição, programadores, desenvolvedores, designers e empreendedores encararam o desafio de criar apps com soluções para os três setores, ideias que fizessem a diferença no cotidiano das pessoas.

Detalhe: tudo aconteceu de forma ininterrupta: quem quis, pôde dormir na própria sede da federação, na Avenida Paulista, em barracas montadas e oferecidas pelo evento, realizado com toda a infraestrutura de alimentação e suporte geral para os participantes. Ao longo da jornada criativa (e produtiva) iniciada na manhã deste sábado (26/04), mentores e responsáveis pela organização permaneceram à disposição dos competidores, divididos em grupos com cinco membros cada, durante toda a madrugada.

Segundo o diretor titular do CJE, Sylvio Gomide, foram 140 participantes inscritos nos grupos, com a participação de outras 60 pessoas envolvidas  na organização do evento, entre palestrantes, mentores, técnicos e organizadores. Ao todo, passaram a noite na Fiesp 91 inscritos no desafio. “Recebemos participantes da capital e do interior, de cidades como Campinas, Limeira e São Carlos, por exemplo”, disse. “Também tivemos representantes de outros estados, como Mato Grosso e Paraná. Mudamos totalmente a programação da Fiesp, que nunca ficou aberta 24 horas para um evento do tipo”.

Gomide, ao centro, de azul, acompanhado dos vencedores das três equipes campeãs do Hackaton: 200 participantes na maratona de desenvolvimento de aplicativos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Gomide, ao centro, acompanhado dos vencedores das três equipes campeãs do Hackathon: 200 participantes na maratona de desenvolvimento de aplicativos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Hora de comemorar  

Assim, ao final da segunda edição do Hackathon (a primeira foi em setembro de 2013), os campeões foram: equipe Sky Hawk, na categoria Segurança; Heróis, em Saúde e VemBilu em Educação. Com a conquista, todos estão automaticamente inscritos no Acelera Startup, a ser realizado nos dias 07 e 08 de maio, na Fiesp. O concurso, também organizado pelo CJE, aproxima empreendedores de investidores.

“Criamos uma proposta de aplicativo para resolver a ajudar um problema sério de segurança”, explicou o programador Elton Sasaki, do grupo Sky Hawk. O que eles fizeram? Desenvolveram um sistema que, com um clique num botão, consegue acionar a polícia em caso de emergência. “A nossa sensação é de dever cumprido, mas acho que a ficha ainda não caiu”, disse Luiz Afram, outro integrante do time vencedor.

A preocupação com a utilidade social também guiou o trabalho da turma Heróis na área da Saúde. Dessa forma, o app Herói incentiva a doação de sangue nas cidades. “Vamos levar o projeto adiante, acompanhar o crescimento desse filho que é o aplicativo”, afirmou Adilson Barison, representante do grupo. “Pensamos em replicar a iniciativa para outros segmentos, como o de doação de medula óssea”.

Quem quer estudar acompanhado de pessoas com interesses comuns terá no VemBilu, desenvolvido pelos vitoriosos do setor de Educação do Hackathon, um aliado. O sistema aponta, por localidade e por disciplinas, quem pode colocar o conteúdo em dia com estudantes com os mesmos objetivos. “A gente apostou na ideia, trabalhou, não dormiu”, contou Jacqueline Alves, da equipe. “Agora vamos aproveitar o Acelera”, disse Fernando Alvez, também integrante do grupo.

As barracas à disposição dos competidores: 91 pessoas dormiram na Fiesp. Foto: Luis Gustavo

As barracas à disposição dos competidores: 91 pessoas dormiram na Fiesp. Foto: Luis Gustavo


Os prêmios

Além do reconhecimento e da inscrição automática no Acelera Startup, os vitoriosos levaram como prêmio vales para fazer cursos na Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap); bônus de R$ 1,5 mil do sistema MaxiPago para cada grupo que quiser desenvolver games cujos custos incluam pagamentos por meio digital; um curso à escolha no IMasters e uma inscrição de cortesia na próxima edição do evento Intercomp.

No segundo semestre tem mais

Depois de agradecer pelo empenho dos participantes e de todos os envolvidos na organização do Hackathon, Gomide destacou que a terceira edição do evento, prevista para o segundo semestre de 2014, será “ainda melhor do que a segunda”. “Trouxemos o Vale do Silício para São Paulo”, disse.

Gomide: “Trouxemos o Vale do Silício para São Paulo”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Gomide: “Trouxemos o Vale do Silício para São Paulo”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O diretor titular do CJE registrou ainda a vista do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, ao evento, na tarde deste sábado (26/04). “Ele ficou muito impressionado e chamou a sua atenção a concentração dos grupos”, contou. “Todos os vencedores já estão convidados a tomar um café com ele na Fiesp em maio”, afirmou, destacando as possibilidades que estão diante dos empreendedores da tecnologia reconhecidos pela federação neste final de semana.