imagem google
Início do conteúdo

Equipe técnica do Sesi-SP é formada por profissionais multidisciplinares

Aliando tecnologia e experiência, biomecânico e fisioterapeuta, entre outros profissionais, contribuem diretamente para a evolução dos atletas e a conquista de resultados expressivos do Sesi-SP em competições

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp 

Por trás das conquistas dos atletas de natação do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) no Troféu José Finkel está o trabalho de uma equipe multidisciplinar de profissionais do esporte. Ela dá apoio ao treinador Fernando Vanzella e atua diretamente na evolução técnica e física dos atletas da natação.

Desde abril deste ano atuando como biomecânico do Sesi-SP, Fabiano Teixeira explica a importância da tecnologia e do trabalho conjunto de uma equipe multidisciplinar. Ele destaca que a tecnologia é “muitíssimo” importante para a evolução dos atletas.

“Com equipamentos de ponta, fazemos medições, melhorando técnicas e fundamentos de natação. O resultado nós já estamos vendo aqui no Finkel, com medalhas, recordes internacionais e índices para o Mundial de Doha”, conta.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537617223

Teixeira (de pé, à esq): biomecânica como promotora de melhorias técnicas na natação. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Teixeira explica sua atuação como biomecânico. “Filmamos todas as provas. Segmentamos os trechos das piscinas, que servirão de parâmetros. Com esse material, depois fazemos a análise cinemática junto aos atletas.”

Para ele, o interessante da atuação do biomecânico é a rapidez com que a informação é levantada, passada e incorporada pelo atleta.

Durante o torneio há uma televisão e um computador disponíveis para a equipe. Após as provas, Teixeira, com apoio das imagens, indica formas para a melhoria do nado. “Analisamos tempo de braçadas, frequência, a saída. Buscando sempre a evolução do atleta.”

Dessa forma, a melhoria no desempenho dos nadadores pode ser percebida no mesmo dia. ‘É um trabalho conjunto visando a melhoria física e técnica dos atletas do Sesi-SP”, conclui.

2014 sem lesões

Além dos resultados obtidos no José Finkel, outro fator que comprova a capacidade da equipe comandada por Vanzella é a prevenção de lesões. Em 2014 não houve nenhum caso em atletas da natação nas equipes júnior e sênior.

Esse feito deve-se ao trabalho de Caetano Bianco, de 34 anos, fisioterapeuta de alto rendimento do Sesi-SP. “Para as competições, estabelecemos um planejamento específico baseado no perfil e na agenda do atleta, analisando também o envolvimento psicológico de cada prova”, informa.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537617223

Bianco faz tratamento em Giovanna Diamante: nenhuma lesão em 2014. Foto: Everton Amaro


Durante o Finkel, um equipamento que mede o nível de lactato presente no sangue dos atletas fica disponível para os nadadores. Com ele pode-se saber se o atleta está ou não sobrecarregado. “É importante esse controle. Assim conseguimos administrar a fadiga do atleta”, explica.

O campeonato brasileiro em piscina curta (25 metros) foi o palco da estreia de um novo equipamento da equipe. “Temos aqui uma máquina que faz a compreensão de gelo diretamente em um segmento do corpo.”

A máquina, aprovada pelos nadadores, previne futuros problemas musculares.