imagem google

Fiesp vai oferecer crédito de Agência de Fomento para micro, pequenas e médias

Convênio firmado com Governo de SP permitirá que empresas de menor porte tenham acesso facilitado a linhas de crédito

A Fiesp é uma das nove entidades representativas do setor produtivo paulista que irá operacionalizar linhas de crédito destinadas às micro, pequenas e médias empresas da Nossa Caixa Desenvolvimento – Agência de Fomento do Estado de São Paulo.

A assinatura de convênio foi realizada na tarde de terça-feira (28), no Palácio dos Bandeirantes, pelo governador do Estado, José Serra, e pelo diretor-titular do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi), da Fiesp, Milton Bogus.

“É um passo importante para facilitar o crédito aos pequenos negócios, que foram os que mais sentiram os efeitos da crise econômica mundial”, afirmou Bogus. Ele acredita que muitas empresas poderão se beneficiar – o governo estima que serão cerca de 36 mil em todo o Estado – e adiantou que o Dempi deverá promover um evento na Fiesp para esclarecer as dúvidas dos empresários. “Vamos divulgar e direcionar as demandas”, explicou.

O governador José Serra disse que este “É um investimento voltado às micro, pequenas e médias empresas, que são um setor mais frágil do ponto de vista financeiro, mas que contribui para o emprego e o desenvolvimento tecnológico do País”. Ele garantiu que as ações da Agência de Fomento serão expandidas e que irá operar linhas de crédito com um dos juros mais baixos para o padrão brasileiro – cerca de 12,5% ao ano, contra uma média de 30% ao ano, praticada pelo mercado.


Agência



Com a alienação do controle do banco Nossa Caixa no ano passado, o Governo de São Paulo destinou R$ 1 bilhão para a criação da Agência de Fomento do Estado de São Paulo. O governo tinha aportado R$ 200 milhões para o início das operações e, durante a cerimônia de assinatura de convênio, anunciou que vai destinar mais R$ 200 milhões. Os R$ 600 milhões restantes serão integralizados de acordo com a demanda.

A partir de agosto, a agência também passará a operar o Fundo de Aval (FDA), que tem por objetivo garantir os riscos de crédito de micro e pequenas empresas junto às instituições financeiras. Ele será oferecido para três tipos de financiamento: aqueles destinados à compra de equipamentos e automação comercial; empréstimos contraídos para a aquisição e adaptação de veículos utilitários nacionais e novos; e créditos obtidos para a aquisição de máquinas e equipamentos essenciais à abertura de franquia comercial, aí incluídas as despesas com obras civis e a instalação física do empreendimento.

Podem pleitear o FDA vinculado a essas linhas de crédito as micro e pequenas empresas – industriais, comerciais e prestadoras de serviços – sediadas no Estado de São Paulo, com receita bruta anual de até R$ 2,4 milhões e que estejam em dia com o fisco estadual. O valor garantido pelo FDA não poderá ser superior à quantia equivalente a 10% da receita bruta anual da empresa, ou seja, R$ 240 mil.