imagem google

Fiesp lança Central de Inteligência para gestão do FAP, RAT e NTEP

Produtos e serviços auxiliam gestão das empresas em temas ligados à segurança e à saúde do trabalho

O Departamento de Ação Regional da Fiesp (Depar) lançou nesta terça-feira (30 de maio) a chamada Central de Inteligência. Criada no escopo do Projeto de Gestão FAP – RAT – NTEP, a Central auxiliará os sindicatos e as empresas paulistas na gestão do Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP), do Fator Acidentário de Prevenção (FAP) e da contribuição relativa aos Riscos Ambientais do Trabalho (RAT), o antigo Seguro de Acidentes do Trabalho (SAT).

A Central oferece uma gama de produtos e serviços que além de ajudar as empresas na gestão do seu FAP, visando a redução de tributos, atuará via sindicato com foco na ampliação da receita da entidade sindical e na fidelização ao associativismo.

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) saiu na frente e, em seminário realizado na sede do Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci-SP), mobilizou empresas do setor de olho em uma administração mais eficiente dos seus tributos, figurando como a primeira parceira da Fiesp no projeto.

Além de um sistema integrado de dados, a Central contará com uma equipe multidisciplinar para ajudar as empresas a conquistar ganhos de competitividade e retorno econômico, por meio da melhor gestão dessas obrigações previdenciárias.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539935200Sylvio de Barros: melhor gestão pode virar economia. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp.


Segundo o diretor titular do Depar, Sylvio de Barros, o Projeto de Gestão FAP – RAT – NTEP tem como objetivo criar um posicionamento estratégico do setor industrial em relação aos desafios do FAP e do RAT, que oneram a cadeia produtiva e que, se bem administrados, podem reduzir os custos das empresas e melhorar as condições de saúde e segurança dos trabalhadores.

Em 2016, a Fiesp realizou um projeto-piloto da Central com 30 empresas, de seis setores. “Levantamos os últimos seis anos e verificamos uma economia potencial de R$ 167 milhões, diante dos R$ 307 milhões pagos pelas empresas no período”, afirmou. Além da economia com os tributos, o diretor destacou ainda que o novo canal busca fortalecer o relacionamento dos sindicatos com as empresas de seus respectivos setores.

“Identificamos que para conquistar eficácia na gestão dos tributos, as áreas da empresa também devem estar integradas e envolvidas com o tema. São elas: recursos humanos, jurídico, medicina do trabalho e segurança e saúde do trabalhador”, frisou.

Comitê estratégico

Outra ação estratégica lançada em conjunto com a Central foi o Comitê FAP-RAT, que concentrará grupos de estudos e pesquisas sobre os temas em questão, para avaliar as possibilidades de apresentar pleitos institucionais em benefício da indústria e dos setores ligados à Fiesp. A ideia é aperfeiçoar as propostas industriais em itens como legislação, recursos tecnológicos e processos administrativos junto aos órgãos competentes.

Na visão do vice-presidente do SindusCon-SP, Haruo Ishikawa, a nova Central será fundamental para toda a indústria do Estado, principalmente em um momento em que, mais uma vez, a crise política derruba a perspectiva de recuperação da economia e a incerteza sobre o futuro paralisa os negócios, arriscando a sobrevivência das empresas.

“O momento é de extrema importância. Não podemos descuidar da saúde e segurança do trabalhador”, disse. “Essa ferramenta ajudará na gestão dessas obrigações de uma maneira clara, evitando que elas se tornem um ônus”, completou Ishikawa.

O diretor titular do Departamento Jurídico da Fiesp (Dejur), Hélcio Honda, falou ainda da majoração de alíquotas ocorrida na última revisão da contribuição relativa ao RAT, da sistematização e atuação da parte jurídica da Central que será auxiliada pela federação. Para ele, as áreas jurídica e de recursos humanos terão importante papel nesse momento, administrando informações que evitarão onerações que pesam muito quando somadas a uma carga tributária já bastante robusta e que eleva o custo Brasil.

Na prática

Os serviços oferecidos pela Central às empresas incluem relatórios técnicos anuais de FAP e RAT, gestão de afastamento de curto e longo prazos, sistema de alerta NTEP, orientações para contestação administrativa e judicial, além de qualificação profissional focando a integração das áreas envolvidas no tema: recursos humanos, jurídica e segurança e saúde do trabalhador.