Fiesp e SRTE-SP assinam termo para viabilizar ‘Meu Novo Mundo’

Iniciativa vai proporcionar acesso à profissionalização por meio de cursos do Senai-SP e trabalhar a autoestima e as habilidades intelectuais e corporais por meio da prática esportiva no Sesi-SP

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Em evento na manhã desta quarta-feira (20/08), a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em São Paulo (SRTE-SP) assinaram um termo de cooperação que viabiliza o projeto “Meu Novo Mundo”.

A iniciativa oferece ações conjuntas para a inclusão profissional de pessoas com deficiência em indústrias cuja matrizes estejam localizadas no Estado de São Paulo por meio de um programa abrangente, que articula cursos de aprendizagem industrial oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e atividades esportivas e de cidadania por intermédio do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

João Guilherme Sabino Ometto e Luiz Antônio de Medeiros Neto (ao centro) com o termo assinado. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O ato teve a assinatura do 2º vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, e do superintendente regional do Trabalho e Emprego de São Paulo, Luiz Antônio de Medeiros Neto, representando o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias.

Em seu discurso, Ometto cumprimentou o diretor titular do Departamento de Ação Regional (Depar), Sylvio de Barros, pela idealização de articulação do projeto e expressou seu contentamento por assinar o ato. “Quero partilhar minha alegria e emoção de assinar pela Fiesp esse projeto de tamanha importância”, disse o 2º vice-presidente da Fiesp.

Ometto: “Esse é um programa diferenciado, que engrandece e fortalece a indústria paulista."Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ometto disse ainda que a essência para a verdadeira inclusão é descobrir o potencial das pessoas e colocá-las no lugar certo. “Esse é um programa diferenciado, que engrandece e fortalece a indústria paulista˜, ressaltou, afirmando estar feliz pela união de esforços de diversos poderes e instituições em torno da iniciativa.

Medeiros, superintendente regional do Trabalho e Emprego de São Paulo, assinalou que o objetivo do Ministério não deve ser o de multar, mas de sanear os problemas, e que a iniciativa não burla a Lei de Cotas. “Tem que flexibilizar para que as empresas possam cumprir a lei de outras maneiras. Tudo que não flexibiliza, quebra”, ressaltou.

“Esse é um marco. Estamos buscando formas diferentes de cumprir a Lei de Cotas, ponderou Medeiros. “Temos um grande desafio: buscar pessoas que estão em casa, absolutamente desmotivadas, que recebem uma pensão do Estado e estão com autoestima lá embaixo, gente que não pertence à classe média e não tem oportunidade de comprar seus equipamentos. [Temos que ] Trazer as pessoas e motivar as pessoas, de um jeito ou de outro, motivar pelo esporte, pela profissão, pela convivência com os outros”, completou o superintendente, cumprimentando em seguida auditores do Ministério do Trabalho pelo entendimento que possibilitou a assinatura do termo de cooperação.

O evento contou com a participação de Marianne Pinotti, secretária Municipal das Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo, representando o prefeito Fernando Haddad. Afirmando que a gestão atual da prefeitura procurou lançar um olhar social para a questão, mais além da adequação urbana , a secretaria elogiou o programa “Meu Novo Mundo”.

“Essa ideia será vitoriosa”, resumiu Marianne.

Sylvio de Barros disse que projeto aproveitou know-how do Sesi-SP e do Senai-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O diretor titular do Depar/Fiesp, Sylvio de Barros, destacou que a Fiesp já fez uma reunião com a prefeitura visando a otimização de esforços nessa área. Falou ainda sobre o programa. “Temos uma grande alegria porque conseguimos alcançar os nossos objetivos. Queremos realizar um projeto que promova a real inclusão no mercado profissional, o que vai acontecer de uma maneira tranquila e alegre porque teremos o esporte sempre presente. Aproveitamos todo o know-how que o Sesi-SP e o Senai-SP possuem.”

O evento contou ainda com apresentações de representantes do Sesi-SP e do Senai-SP sobre como o programa será implementado e da gerente do Departamento Jurídico Estratégico da Fiesp, Luciana Freire, que detalhou as ações adotadas para proporcionar segurança jurídica a todas as partes, em particular as indústrias interessadas em aderir ao programa.

Em linha com a legislação

Na análise do médico e auditor fiscal José Carlos do Carmo (Dr. Kal),  coordenador do Projeto de Inclusão de Pessoas com Deficiência da SRTE-SP, a representação ministerial não deixará de fiscalizar a legislação.

O que atraiu a SRTE-SP para o projeto foi o aspecto de envolver qualificação das pessoas, muito além do mero cumprimento de cotas.

Ele destacou ainda que o projeto tem como público-alvo pessoas com maior vulnerabilidade social. “Por uma questão de justiça social devemos votar a tenção para as pessoas de deficiência mais grave. Existe esse compromisso sincero de todos nós de voltar a atenção para essas pessoas. Dar chance ao jovem que não sabe nada do mundo de trabalho e que nem sabe qual é a sua vocação. ”

>> Site do programa ‘Meu Novo Mundo’