imagem google
Início do conteúdo

Fiesp e Ciesp recebem seminário que debate desafios do pré-sal

Evento do Diário de São Paulo discute principais obstáculos do setor com o intuito de promover melhorias contínuas na indústria e em sua produção

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

A Federação e o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) sediaram nesta terça-feira (27/11) o primeiro de uma série de três seminários “Desafio São Paulo na Demanda do Pré-sal”, uma realização do jornal Diário de São Paulo, com apoio das entidades e patrocínio da Petrobras.

Kalenin Branco, membro do Comitê de Petróleo & Gás (Competro) da Fiesp e do Ciesp e diretor-adjunto de Infraestrutura do Ciesp, as entidades vêm acompanhando o segmento há pelo menos seis anos, desde que a Petrobras se instalou definitivamente em Santos.

“O desafio é identificar as principais carências do setor para que a gente pudesse aproveitar esse potencial”, afirmou na abertura do evento, destacando que a falta de mão de obra impulsionou as indústrias nesse processo de entrar efetivamente na área de P&G.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537280523

José Luiz Marcusso, da Petrobras. Foto: Helcio Nagamine

O destaque do evento foi a apresentação do gerente geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos da Petrobras, José Luiz Marcusso.

Segundo Marcusso, o cenário na Bacia de Santos é positivo para os fornecedores em função de três motivos: reservas de petróleo e gás comprovadas; carteira de projetos, com investimentos aprovados; e projetos de produção e de sondas contratados. “Existe hoje ou implantado ou em implantação condição para que essa curva [de crescimento] aconteça conforme está planejado.”

Com o crescimento da exploração, a Petrobras vai contratar 33 novas sondas em estaleiros brasileiros.  O gerente citou ainda o gasoduto de Caraguatatuba, que, após um ano de operação, já fornece mais 10 milhões de metros cúbicos por dia, o equivalente e um terço do volume entregue pelo gasoduto proveniente da Bolívia.

“O grande desafio é operar com alta eficiência, sem acidente, sem impactos ao meio ambiente, sem impactar a saúde dos trabalhadores. Além de investir em tecnologia e infraestrutura, temos que investir em novos processos de trabalho e novas formas de capacitar as pessoas. Esse é o desafio que mais me tire o sono”, disse Marcusso.

O gerente apresentou ainda os investimentos da Petrobras em novas instalações em Santos. Atualmente, a empresa tem sets endereços na cidade, mas está construindo sua sede definitiva. Serão três prédios, cada um com capacidade para 2.200 pessoas.