imagem google

Feirão do Imposto, na Paulista, recebeu 7 mil pessoas

Jovens empresários da Fiesp e do Ciesp montaram um "mini-supermercado" para revelar o peso tributário dos produtos

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542371182


Gôndolas de supermercado apresentam produtos e informam carga de tributos

O brasileiro atingiu na última sexta-feira (2) a marca de R$ 780 bilhões pagos no ano em impostos federais, estaduais e municipais, como indica o Impostômetro – painel eletrônico que contabiliza o total da arrecadação tributária no País.

Para mostrar à população o quanto ela paga de imposto em cada produto, o Comitê e o Núcleo de Jovens Empreendedores (CJE/NJE) da Fiesp e do Ciesp promoveram, na mesma data, o segundo


Feirão do Imposto em São Paulo


.

Gôndolas de supermercado foram montadas na Avenida Paulista, no hall de entrada do edifício-sede das entidades, e revelaram a fatia de tributos embutida nos principais itens da cesta básica, bebidas, higiene pessoal e limpeza, material escolar, eletrodomésticos e eletrônicos, automóveis e construção civil, além das contas de consumo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542371182


Sylvio Gomide, diretor do CJE da Fiesp

“É uma forma prática e simples que encontramos de mostrar à população o quanto pagamos de carga tributária no dia a dia”, explicou Sylvio Gomide, diretor-titular do CJE da Fiesp.

Segundo ele, a expectativa era abordar 7 mil pessoas, público 20% maior que na edição anterior, em 2008, realizada em um sábado.

“As pessoas ficam espantadas. Todos sabem que a carga de impostos é muito alta no nosso país. Mas vendo os exemplos conseguimos uma conscientização. A ideia é fazer as pessoas lembrarem disso quando forem ao supermercado”, acrescentou Gomide.










Ouça aqui

 
entrevista concedida por Sylvio Gomide, diretor-titular do CJE da Fiesp, à Agência Radioweb.


Quanto se paga na prática



Dos itens da cesta básica, os impostos arrancam uma fatia maior dos seguintes produtos:

  • Açúcar (40,4%),

  • Óleo de soja (37,18%),

  • Café (36,52%),

  • Farinha (34,47%),

  • Leite (33,63%).

    Arroz e feijão têm 18% de impostos cada um; a carne bovina, 18,63%.

    Na lista de produtos básicos de higiene, destaque para xampu (52,35%), papel higiênico (40,5%), sabonete e pasta de dente (42%).

    Já na construção civil, os impostos respondem pela metade do preço de uma casa popular. Em um imóvel que custa R$ 45 mil, mais de R$ 22 mil são tributos.

    Em 2008, a carga tributária respondeu por 37% do PIB. Segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), os contribuintes brasileiros comprometerão 40,15% da renda bruta neste ano para o pagamento de tributos diretos e indiretos.

    “Neste ano, trabalhamos 148 dias apenas para pagar impostos. Não dá mais, temos que nos mobilizar e cobrar, e essa é a intenção do Feirão”, reforçou Sylvio Gomide.

    O evento, que acontece em mais 100 capitais neste sábado, dia 3 (


    veja aqui os endereços


    ), é feito em conjunto com outros núcleos jovens do País, com o apoio da Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje).



    Clique aqui


     para ver o quanto de imposto incide sobre os produtos.