imagem google

Fabiana lidera equipe e leva Sesi-SP à sua terceira final na temporada

Equipe faz final em Maringá, a partir de 10h, com transmissão da TV Globo

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Diante de ótimo público, que torceu em sua enorme maioria pelo rival no Ginásio Chico Neto, em Maringá, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu na tarde desta sexta-feira (17/01) o atual campeão brasileiro Unilever por 3 sets a 1 (18/21, 21/13, 22/20 e 21/19) e garantiu a vaga na final da Copa Brasil.

O jogo será no sábado (18/01), às 10h, contra o vencedor do confronto Osasco x Campinas, também na cidade paranaense, com transmissão da Rede Globo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542598813

Fabiana Claudino, um dos destaques do jogo. Foto: Alexandre Arruda/CBV


O jogo

A equipe começou com Fabiana, Dani Lins, Suele, Ivna, Dayse e Bia, além da líbero Suellen. Entraram Carol Albuquerque e Bárbara. Mesmo com três desfalques (Ju Costa, Mari Cassemiro e Pri Daroit), o técnico Talmo de Oliveira mostrou que tem o time nas mãos.

Quem abriu o marcador foi Bia, após segurar Régis no bloqueio e no rebote soltar a bola no fundo da quadra. Sarah Pavan empatou, mas Bia, de novo, botou o Sesi-SP na frente. A mesma Bia foi para o saque e deu problemas para a equipe de Bernardinho. Suele atacou na diagonal fazendo o terceiro e Fabi marcou o quarto ponto no bloqueio, forçando o pedido de tempo para o Unilever. O paredão da Vila Leopoldina com Fabi e Ivna continuava funcionando bem e segurando as rivais, enquanto Suele aproveitava as bolas de Dani e pontuava. Assim, o time abriu o primeiro tempo técnico em 07/04.

O Sesi-SP segurava a vantagem com ótima atuação de Bia no bloqueio, impedindo a reação do Unilever e abrindo margem para se manter na frente. E foi em mais um bloqueio da camisa 20 que o time fechou o segundo tempo técnico em 14/ 08. Na volta, o time manteve a pegada, marcou mais dois e Bernardinho novamente pediu tempo. A fase da central era tão boa que até levantando ela ajudou o time a marcar. Dani salvou bola incrível no fundo e Bia, de costas, deixou na medida para Suele marcar o 19º ponto. Mas o que parecia um set tranquilo, de repente desandou. Com Fofão no saque, o Unilever marcou dez pontos seguidos e passou a frente no placar. O time se desestabilizou e acabou cedendo o set, que fechou para as rivais em 21/18 em 24 minutos.

Com a mesma arma do primeiro set, o Unilever começou com Fofão no saque, mas dessa vez o Sesi-SP estava preparado e conseguiu abrir vantagem de 04/01. Mas novamente a recepção pecou e Carol conseguiu três aces seguidos, empatando a partida. Porém, a arma das adversárias se virou contra elas. Dani Lins foi para o saque e conseguiu seis pontos seguidos, ajudando a equipe a chegar ao segundo tempo técnico, com 14/09. Vantagem muito bem vinda, pois a equipe praticamente não errou mais no set até fechar com Dayse, aproveitando erro na recepção do Unilever, em 21/13 em 19 minutos.

No terceiro set as equipes se equivaleram. Nenhuma abriu uma margem de pontos significativa até que o time paulista conseguiu 10/07. Mas, como no primeiro set, Fofão foi para o saque e virou o jogo, levando Talmo a pedir tempo. O Sesi-SP voltou marcando com Ivna, mas o Unilever se segurou e conseguiu o segundo tempo técnico em 14/12. Depois das instruções, o Sesi-SP passou a errar bem menos e salvar bolas “impossíveis”. Dani começou a arriscar e marcou 18/17 em bola de segunda que matou as rivais. Na sequência, rali incrível e Fabiana Claudino, dona da rede, mandou a bola para o chão, abrindo dois de vantagem para o Sesi-SP. Bernardinho pediu tempo para sua equipe. O Sesi-SP teve o set nas mãos, mas um erro de formação no saque empatou a partida para o Univeler. Só que a equipe de Talmo não perdeu a cabeça e, com Ivna explorando o bloqueio, fechou a etapa em 22/20.

O quarto set era a definição e erros não seriam mais permitidos em nenhum dos lados. E as equipes sabiam disso, aproveitando cada jogada como se fosse a última. Só que a bola do time carioca começou a cair mais na quadra paulista e, com Sarah Pavan inspirada, o Unilever abriu 14/10 em momento crucial do jogo. Mas as meninas de Talmo conseguiram chegar ao empate em 18/18, deixando tudo indefinido. O momento era melhor para o time da Vila Leopoldina e Bernardinho pediu tempo. Na volta, Ivna soltou o braço e virou o jogo. Bia marcou o vigésimo ponto e Ivna, após linda defesa de Dayse, marcou 21/19 e colocou o time na final, a terceira do ano.