imagem google
Início do conteúdo

Estudo apoiado pela Fiesp compara adoção do BIM no Brasil e na União Europeia

Relatório recomenda uso obrigatório em programas financiados pelo Governo Federal

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

Com apoio do Departamento da Indústria da Construção da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Deconcic – Fiesp), o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) elaborou estudo comparativo do estágio de adoção do BIM (sigla em inglês de modelagem de informação da construção – Building Information Modeling) no Brasil e em países da União Europeia (Reino Unido, França, Holanda, Finlândia e Noruega). O Deconcic tem papel atuante na disseminação no Brasil do conceito BIM, tema estratégico no Programa Compete Brasil, da Fiesp.

O levantamento mostra os entraves ao uso da ferramenta no país e faz recomendações para incentivar sua disseminação. Um dos problemas é que no Brasil há uma profunda separação entre concepção e execução da obra, na contramão da visão integrada proposta pelo BIM.

A tabela abaixo, publicada no relatório, compara oito componentes em comum das políticas do BIM nos cinco países europeus e no Brasil. Ela mostra que cada um dos componentes da política BIM foi encontrado em pelo menos três países diferentes. Todos os países estudados iniciaram o desenvolvimento de suas estratégias e visão do BIM, e alguns já a concluíram. Os objetivos do BIM são parte de uma estratégia de construção governamental, como no Reino Unido e França, ou objetivos autônomos impostos pelas principais organizações estatais, como na Finlândia, Noruega e Holanda. As normas e protocolos do BIM estão quase completos em todos os países, exceto na França e no Brasil, onde foram anunciados ou começaram recentemente.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537280727

O Brasil se destaca na infraestrutura de tecnologia para o setor público, graças ao Sistema OPUS, usado para aquisição e gerenciamento de projetos BIM para o exército brasileiro no país todo.

Recomendações

O relatório lista ações estratégicas para a difusão do BIM no Brasil. Tiveram peso nas recomendações as discussões com as partes interessadas durante reunião no Deconcic da Fiesp em agosto de 2014.

Entre as ações propostas está tornar objetivos do BIM parte de uma “estratégia de construção” ou “visão” nacional e oficial. A divisão das responsabilidades pela indústria de construção entre o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o Ministério das Cidades (MCidades) e o Ministério do Planejamento, Orçamento, e Gestão (MPOG) representa um desafio para a formulação de uma estratégia de construção, mas uma determinação em conjunto sobre os objetivos do BIM, assinada pelos três ministérios, pode ser uma abordagem significativa e efetiva.

Também se recomenda tornar o BIM obrigatório, de forma gradual (em estágios), em projetos adquiridos pelo Governo Federal. A abordagem em estágios considera prazo de exigência, valor do projeto, fase do projeto e tipo do projeto.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537280727

Clique aqui para ter acesso ao relatório completo.