imagem google
Início do conteúdo

Saulo Vasconcelos espera boas surpresas do Curso de Formação em Teatro Musical

Coordenador de interpretação e teatro da iniciativa, o astro dos musicais brasileiros destaca a estrutura oferecida aos alunos

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A animação é a de um iniciante. Aliás, talvez seja esse o segredo dos grandes como ele: a capacidade de não perder o encantamento diante dos novos desafios. Pois Saulo Vasconcelos, coordenador de interpretação e teatro do Curso de Formação em Teatro Musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), inaugurado em março, é um entusiasta a respeito do projeto e de sua missão na iniciativa. Para ele, o objetivo é formar artistas que logo mais estarão “brilhando nos melhores musicais”.

E olhe que, de brilho, ele entende. É impossível falar sobre a trajetória dos espetáculos musicais no Brasil nos últimos 15 anos sem destacar a sua participação em produções importantes. Algumas delas: “O Fantasma da Ópera”, “Cats”, “Les Miserables”, “A Bela e a Fera”, “Mamma Mia”, “Priscilla, A Rainha do Deserto” e “A Madrinha Embriagada” (em cartaz até junho no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista).

“Visitamos seis universidades fora do Brasil para conhecer o melhor entre o que é oferecido em formação para teatro musical no mundo e adaptamos à nossa realidade”, explica Vasconcelos.

Vasconcelos: referências internacionais adaptadas à realidade brasileira no curso. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Vasconcelos: referências internacionais adaptadas à realidade brasileira no curso. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Segundo ele, as turmas de alunos foram divididas em grupos menores, com dez participantes cada, para atender melhor os futuros astros e estrelas. Na pauta do curso, aulas de teoria musical, canto e canto coral, entre muitas outras. “Trabalhamos técnica vocal e coral até o último semestre”, diz.

E tudo isso num nível “superior ao que se tem hoje” em termos de formação na área. “Nossos alunos terão cinco horas de aulas por dia, com os melhores professores disponíveis no mercado”, afirma Vasconcelos. “Esperamos surpresas muito boas, ver essas pessoas brilhando nos melhores musicais”.

De acordo com o coordenador de interpretação e teatro do Curso de Formação em Teatro Musical do Sesi-SP, os professores envolvidos no projeto têm liberdade para  trabalhar os conteúdos e fazer as conexões que acharem que faz sentido em suas classes.

Em Brasília

Vasconcelos conta que a sua formação profissional foi baseada no canto e no teatro, sempre fazendo aulas avulsas das duas disciplinas em Brasília, no Distrito Federal, onde nasceu. “Estudava Economia na faculdade e fazia esses cursos à parte”, diz. “Em 15 anos, aprendi bastante e troquei muitas experiências, isso me deu uma boa formação”.

Mesmo assim, afirma ele, “teria feito muita diferença ter participado num curso como esse do Sesi-SP quando eu era mais jovem”.

De encher os olhos

Além da chance de proporcionar boas oportunidades para os futuros talentos dos palcos, o astro dos musicais brasileiros diz que tem orgulho da “estrutura oferecida pelo Sesi-SP aos alunos”. “É de encher os olhos”, diz. “As pessoas chegam lá e se impressionam, querem que o trabalho dê certo”, afirma Vasconcelos, animado como se fosse a primeira vez em que se vê diante de uma estreia.