imagem google
Início do conteúdo

Escolas do Sesi-SP recebem a visita de Paulo Skaf neste sábado

Presidente da instituição e da Fiesp inaugurou unidade de São Bernardo e renomeou a de Jaú

Agência Indusnet Fiesp

O sábado (14/04) foi de festa em duas unidades da rede Sesi-SP, a de São Bernardo do Campo e a de Jaú. E com a participação do presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

Pela manhã, em São Bernardo, na Grande São Paulo, Skaf inaugurou o novo prédio da Escola Sesi e assinou o convênio Atleta do Futuro. A escola funciona dentro do Centro de Atividades Sesi Albano Franco, na Rua Suécia, 900.

Participaram da cerimônia autoridades como o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, e o prefeito da cidade, Orlando Morando, entre outros nomes.

O novo prédio faz parte de uma série de investimentos que estão sendo feitos no Centro de Atividades e na escola, que somados ultrapassarão R$ 66 milhões. Atualmente, o Sesi-SP tem 1.600 alunos em sua escola de São Bernardo do Campo, sendo 1.088 nas novas instalações, compostas por 11 novas salas de aula, uma biblioteca escolar com acervo atualizado, um auditório com 98 lugares e salas multiuso, para atender o Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano).

“Quero, de coração, agradecer a vocês todos por esse carinho”, disse Skaf. “Ser recebido assim num sábado, não tem preço que pague isso”.

Skaf parabenizou pais, alunos e professores, pedindo palmas para os educadores. “O justo seria aplaudir os professores todos os dias”, disse.”Não adiantaria de nada a nossa vontade se não fossem os professores do Sesi-SP”.

Na ocasião também foi assinado o convênio para formação esportiva do Programa Sesi Atleta do Futuro, que beneficiará 2.000 alunos do município em diversas modalidades.

Em todo o estado de São Paulo são mais de 100 mil alunos beneficiados pelo programa, que envolve 187 prefeituras conveniadas. Desde 2008, o Atleta do Futuro tem estimulado a prática esportiva e a cidadania de crianças e adolescentes.

Além de introduzir a prática esportiva aos participantes, os alunos recebem orientação em temas transversais como saúde, trabalho, consumo consciente, meio ambiente e pluralidade cultural, dentre outros. Os instrutores trabalham para difundir valores como ética, superação, autoestima e socialização, com o intuito de ajudar o aluno a se desenvolver de modo pleno.

Por se tratar de programa de formação esportiva com metodologia própria do Sesi-SP, as aulas esportivas são complementadas por intensa programação nos finais de semana com a participação da família. Todos os profissionais envolvidos passam por capacitações, e os alunos têm acesso a todos os materiais necessários para a prática de diferentes modalidades de esporte.

Tarde em Jaú

Depois da atividades em São Bernardo do Campo, a Escola Sesi de Jaú foi renomeada à tarde, passando a se chamar Escola Sesi Sueli Algueiro. Para comemorar, a unidade recebeu alunos e familiares para participar de diversas atividades recreativas. Tudo isso com a presença de Skaf.

Houve salas com apresentações de robótica educacional, contação de histórias, oficina de cupcake, ofícina artística, brinquedos infláveis, pintura de rosto, atividades esportivas, jogos recreativos e apresentações musicais.

Sobre a homenageada

Sueli Algueiro nasceu em 10 de abril de 1952 no município de Ibaté. E desde muito cedo se mostrou hábil na arte de ensinar. Neta de imigrantes espanhóis, ainda criança mudou-se com seus pais para Bocaina, onde cresceu.

Em 1968 matriculou-se no Curso Colegial de Formação de Professores Primários do Instituto de Educação Estadual Caetano Lourenço de Camargo, na cidade de Jaú. Logo após a conclusão, em 1970, começou a exercer a atividade docente. Sueli foi professora dedicada à alfabetização e formação básica de filhos de pequenos agricultores e de famílias simples de áreas rurais.

Graças à empatia que demonstrava e inovação na tarefa de alfabetizar, utilizando a ludicidade como ferramenta de ensino, a jovem professora começou a se destacar. Quem a conheceu afirma que era pessoa altruísta e com o dom de cativar as pessoas.

Com o passar do tempo, novas oportunidades vieram e Sueli deixou o interior do Estado. Mas continuou educando pessoas, desde crianças e jovens até altos executivos e funcionários de grandes empresas. Não importava o público, sempre fazia seu trabalho com a mesma maestria. A educadora faleceu em 23 de junho de 2015 e agora recebe justa homenagem de uma vida dedicada à docência.