imagem google

Empresários da Comitiva da Fiesp e do Ciesp à China visitam zona franca de Shanghai

Grupo passou pelo Waigaoqio Direct Import Center e pelo supermercado DIG nesta sexta-feira (09/11)

Mayara Baggio, Agência Indusnet Fiesp, em Shangai

Para conhecer os processos de armazenamento e distribuição dos produtos estrangeiros em Shanghai, a comitiva empresarial da Fiesp e do Ciesp à China visitou, nesta sexta-feira (09/11), a chamada District Free Zone, a zona franca de Shanghai.

A área, administrada por uma empresa estatal chinesa, funciona como um grande galpão de estoque de produtos oferecidos por fabricantes estrangeiros que desejam vender seus produtos para o país da Grande Muralha.

Para participar da Free Zone, o empresário brasileiro pode contatar diretamente a equipe da empresa pública ou os distribuidores locais.

O sócio da importadora e exportadora Brascase, Daniel Lippelt, frisou que o processo de pagamento das taxas nessa zona franca facilita o fluxo de caixa das empresas, já que os impostos são pagos à medida que os produtos são vendidos pelo estabelecimento. O custo diário do aluguel da zona franca de Shanghai é de 1,80 RMB por metro cúbico, passando para 3 RMB no verão.

Na mesma região, a delegação brasileira conheceu ainda as instalações do supermercado DIG, que, após o término da China Internacional Import Expo (CIIE), no próximo dia 11, abrigará uma exposição permanente dos produtos das empresas expositoras.

O coordenador de consultoria e trading Luan de Camargo mora na China e considerou positiva a chance de a comitiva empresarial passar por esse centro. “A ideia de conferir pessoalmente os conceitos de comércio usados pelos chineses foi nota dez”, afirmou. Segundo ele, os empresários brasileiros precisam agora assegurar que o conhecimento conquistado na visita faça parte de um trabalho de longo prazo.