imagem google
Início do conteúdo

Em evento com Michel Temer, Paulo Skaf pede que competitividade seja tema central de Conselhos Superiores da Fiesp em 2013

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537610414

Paulo Skaf: 'Conselhos podem dar uma contribuição muito grande, nos inspirando e dando uma direção'

Durante a reunião inaugural dos Conselhos Superiores Temáticos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o presidente da entidade, Paulo Skaf, pediu na manhã desta segunda-feira (18/02) que os conselheiros direcionem esforços para debater propostas que ajudem o país a aumentar a sua competitividade.

“É fundamental que todos focassem na competitividade”, disse Skaf. O evento contou com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer, e do ministro de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho.

“Os conselhos podem dar uma contribuição muito grande, nos inspirando e dando uma direção”, acrescentou o presidente da Fiesp, sugerindo  que, sempre que necessário, os conselhos devem promover reuniões conjuntas. “A construção de hidrelétricas não é só um tema de infraestrutura, mas também de meio ambiente”, exemplificou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537610414

Paulo Skaf a Michel Temer: ‘É fundamental que a gente possa continuar com esse trabalho em busca de mais competitividade no ano de 2013’

Ao vice-presidente da República, Michel Temer, Paulo Skaf reconheceu os esforços do governo federal para a recuperação da competitividade do país, mas disse que as medidas ainda são insuficientes.

“Tudo que foi feito ainda é pouco, é insuficiente para a recuperação da competitividade. Não é um problema das empresas. Da porta para dentro das empresas, elas têm equipamentos modernos, tecnologia, eficiência, mercado, mão de obra treinada. O problema é conjuntural”, destacou Skaf logo após elogiar medidas como a redução do preço da energia, a queda da taxa de juros e a desoneração da folha de pagamento.

Skaf lembrou que os custos que pesam sobre o produtor brasileiro ainda são elevados.

Segundo ele, o nível de crescimento da indústria nos últimos oito anos foi de 19%, enquanto o comércio, movido pela venda de artigos importados, teve uma alta de 102% no mesmo período.

“É fundamental que a gente possa continuar com esse trabalho em busca de mais competitividade no ano de 2013”, disse a Temer.