imagem google
Início do conteúdo

Sesi-SP derrota Brasil Kirin/Campinas e fica a um passo da final da Superliga

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Em jogo eletrizante no ginásio da Vila Leopoldina, a equipe masculina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu na noite de terça-feira (25/03) o Brasil Kirin/Campinas por 3 sets a 1 (30/28, 17/21, 21/14 e 22/20), em 2h02, na primeira rodada da série melhor de três das semifinais da Superliga 2013/14.

Com o resultado, o Sesi-SP pode assegurar a vaga na final já na próxima rodada, marcada para o primeiro sábado do mês de abril (05/04), às 9h no ginásio do Taquaral, em Campinas (SP). Para isso, basta uma vitória por qualquer placar. Se perder, o Sesi-SP tem a vantagem de jogar em casa a terceira partida.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537947550

Murilo entrou no decorrer do jogo e contribuiu com pontos importantes no ataque e no bloqueio. Foto: Fiesp

No primeiro jogo, o público que lotou a Vila Leopoldina acompanhou um confronto marcado pelo equilíbrio,  especialmente no primeiro set, que durou quase 40 minutos, chegando ao placar de 30/28 em favor do Sesi-SP.

De acordo com o técnico Marcos Pacheco, os times se conhecem muito bem, tanto na estratégia de jogo como nas características individuais, o que leva ao equilíbrio.

Segundo ele, o time precisa melhorar em um fundamento. “Nós temos que ser um pouquinho mais agressivos no saque. O time foi construído para isso”, afirmou, acrescentando que o central Lucão passou a sacar flutuante para aumentar o índice de acerto. “O mundo espera que o Lucão saque forte. A gente espera que no treinamento volte a acontecer isso.”

Na análise do levantador Sandro, as duas equipes fizeram um bom trabalho no bloqueio. “O time deles tem um bloqueio bem forte, principalmente algumas redes como João Paulo, Gustavão e Riva, uma rede bem alta, que toca bastante na bola, e às vezes a gente não teve muita paciência de trabalhar para não enfrentar muito o bloqueio, mas tivemos um pouquinho mais de calma nos momentos decisivos”, destacou.

“A partir do terceiro set encaixou o [saque] flutuante e a gente conseguiu fazer com que eles tivessem que virar as bolas em vez de ganhar o ponto de graça.”

Para o ponteiro Murilo, que recebeu o troféu Viva Vôlei, o bloqueio do Sesi-SP funcionou bem, mesmo com um saque mais tático. “Predominou nossa força no bloqueio, nossa virada de bola. E nossa cabeça está no lugar porque a gente precisa se preparar. Lá [no ginásio do Taquaral] é um caldeirão e o jogo vai ser ainda mais difícil.”

O Sesi-SP entrou com Sandro, Renan, Lucão, Sidão, Lucarelli e Mão, além do líbero Serginho. Entraram: Manius, Murilo, Rogério e Thiaguinho. O Brasil Kirin/Campinas do técnico Alexandre Rivetti atuou com Paulo Renan, Rivaldo, Gistavão, Vini, Diogo e João Paulo Tavares, além do líbero Alan. Entraram: Bergamo, Rodriguinho e Mineiro.

O ponteiro Lucarelli, do Sesi-SP, foi o maior pontuador da partida, com 16 pontos.

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537947550

Murilo e Sidão comemoram ponto em jogo que teve muita alternância no placar. Foto: Fiesp

O primeiro set começou como era de se esperar, com muito equilíbrio, com saques bem forçados e bonitas defesas de lado a lado. Os visitantes marcavam bem o ataque do Sesi-SP, que precisou de paciência para superar o bloqueio do Brasil Kirin. Foi assim que veio a vantagem no primeiro tempo técnico, com o ponteiro Mão, pela entrada de rede (07/05). Falhando na recepção, o Sesi-SP viu o adversário abrir dois pontos de vantagem (09/07), o que levou o técnico Marcos Pacheco a um pedido de tempo. Não adiantou e a equipe continuou com dificuldades para virar suas bolas. Pacheco decidiu tirar Renan e escalar Manius para reforçar o passe. Em ataque de Gustavão, a vantagem chegou a 12/08. O Brasil Kirin chegou à segunda parada técnica com 14/12. Em bola dividida na rede, os visitantes levaram a melhor e aumentaram a vantagem: 16/13. Um ataque de Renan e um erro do levantador reduziu a margem para apenas um ponto (18/16). Depois de ponto de Diogo (19/17), Pacheco pediu mais um tempo na tentativa de buscar o empate. Rivaldo comemorou bastante ao marcar o set point (20/18). O empate e a virada do Sesi-SP vieram em dois erros do time de Campinas. As equipes passaram a disputar ponto a ponto, até que Lucão, em bloqueio simples, garantisse o triunfo em 30/28, em 37´36.

No segundo set, o oposto Renan fez 04/03, mas o Brasil Kirin conseguiu virar e chegar à primeira parada técnica em vantagem: 07/06. Na volta, o bloqueio dos visitantes começou a funcionar (06/09). O Sesi-SP diminuiu em boa passagem de Sandro pelo saque, com Murilo aproveitando falha de recepção dos visitantes. O empate veio com bloqueio de Renan (09/09). O segundo tempo técnico veio em favor do Brasil Kirin (14/12). A vantagem campineira voltou a aumentar e Marcos Pacheco pediu tempo. Mas o time de Campinas soube ter tranquilidade para vencer o parcial em bloqueio de Gustavão e João Paulo: 21/17, em 23’59.

Na volta do terceiro set, Gustavão contou com a sorte para fazer  02/00 de saque. O Sesi-SP empatou depois de bola recuperação de bola e virou com Lucarelli pela saída de rede: 04/03. Em bola trabalhada várias vezes, Lucarelli soube explorar o bloqueio para abrir 06/04. Lucão, bem no bloqueio, parou duas vezes o ataque adversário para marcar 07/04 no primeiro tempo obrigatório. Em bela largadinha, Renan fez 09/06 e, depois, 10/07 com ataque pela saída. Lucarelli, em jogada de muito talento, soltou a bola no fundo da quadra e fez 12/08. Sidão conseguiu um ace e marcou o 14º, levando o jogo à segunda parada técnica: 14/09. Na maior diferença da partida até então, o Sesi-SP abriu seis pontos em bloqueio de Lucarelli (16/10). O Brasil Kirin diminuiu com Vini no saque (17/13), o que levou Marcos Pacheco a pedir tempo. Em bloqueio de Murilo em cima de Rivaldo, o Sesi-SP chegou ao set point: 20/13. O parcial foi fechado em 21/14.

No quarto set, Lucarelii errou um saque e os visitantes chegaram ao primeiro tempo técnico com dois de vantagem: 07/05. Depois de ace do adversário, a diferença em favor dos visitantes subiu para quatro (09/05) e Marcos Pacheco pediu tempo. O bloqueio voltou a funcionar bem com Sidão (08/09). Novo bloqueio de Sidão e o Sesi-SP empatou em 10/10. Murilo, no bloqueio, fez o ponto da virada (11/10) e Alexandre Rivetti pediu tempo. O Brasil Kirin virou o placar em ataque de Gustavão pelo meio (12/11). Murilo, bem na partida, fez o do empate (12/12). O Sesi-SP passou na frente em erro de Gustavão (13/12). Num belo ataque de Lucarelli, o Sesi-SP conseguiu chegar na frente na segunda parada técnica obrigatória (14/13). O Brasil Kirin virou novamente (16/15) e Marcos Pacheco pediu tempo. O empate veio com Sandro em bloqueio simples (18/18). Lucão foi para o saque balanceado e o Sesi-SP passou na frente: 19/18. O time de Campinas chegou ao set point (20/19), mas uma boa passagem de Sandro pelo saque ajudou na vitória por 22/20 e 3 sets a 1.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537947550

Tony Azevedo, craque do polo aquático, entregou o Troféu Viva Vôlei a Murilo. Foto: Fiesp