Eletrônico e inclusivo, File atrai visitantes com obras interativas no Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso - FIESP

Eletrônico e inclusivo, File atrai visitantes com obras interativas no Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso

Festival Internacional de Linguagem Eletrônica seguirá até 28 de agosto

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

O ambiente escuro é um convite a esquecer o mundo lá fora. E a interagir com o que se apresenta do lado de dentro: arte eletrônica, inclusiva e generosa. Aberto na manhã desta terça-feira (12/07), no Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso, no prédio da Fiesp e do Sesi-SP na Avenida Paulista, em São Paulo, o Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), seguirá até 28 de agosto enchendo os olhos de quem quiser desvendar as suas obras.

Entre elas, um painel de imagens geradas em tempo real a partir de dados numéricos: The Indivisible, do japonês Norimichi Hirakawa. Colorido e em constante movimento, é o ponto preferido dos visitantes na hora de tirar fotos da exposição.

Bem no meio da mostra, a escada em que consiste a instalação Sentido Único, da brasileira Angella Conte, confunde o real e o imaginário. A ponto de o visitante se questionar se a escada com projeções de água deslizando existe mesmo ou se é apenas um efeito de luz.

>> Ouça boletim sobre o File

Outra estrela, a Tape São Paulo é uma escultura que lembra uma teia de aranha, digamos assim. Só que feita com fita adesiva, mais exatamente com 32 quilômetros do material. O resultado é um túnel pelo qual quatro visitantes por vez podem circular. A peça vai além do limite do prédio da Fiesp, atraindo os olhares de quem passa pela Paulista.

Tape São Paulo: uma espécie de aranha feita de fita adesiva na qual os visitantes podem passear. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

Uma das prediletas das crianças, Kalejdoskop, da alemã Karina Smigla-Bobinski, é para ser tocada, o que faz com que o líquido colocado embaixo do painel de plástico se mova e deixe tudo cheio de cor. Como se fosse possível brincar com tinta sem sujar as mãos.

Kalejdoskop: instalação para brincar com tinta sem se sujar. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

E por falar em crianças, não deixe de ver com atenção Vídeo-Boleba, da brasileira Celina Portella. Na instalação, uma tela mostra dois meninos jogando bolas de gude que saem do quadro pela sua lateral, se espalhando pelo tabuleiro para dar continuidade à cena. Uma farra.

Ao lado do filho Victor, de 11 anos, na manhã desta terça-feira (12/07), no File, a tecnóloga Alexandra Hirota destacou a interatividade da mostra. “Tudo o que é interativo é mais divertido, estimula o público”, disse. “Aqui no prédio da Fiesp só tem exposição boa”.

Com o neto Lucas, de 4 anos, circulando entre as obras, o administrador Everaldo Nascimento, contou que adora tecnologia. “Estou encantado”, afirmou. “Vou voltar amanhã para trazer mais dois netos”.

Atenta a tudo, a arquiteta Varlete Benevente já tinha ouvido falar do File em edições anteriores, mas fez a sua estreia no evento nesta terça-feira (12/07). “O File é divertidíssimo”, disse. “Se sentir dentro da obra de arte é uma experiência única”.

Para ela, a criação de uma obra que se completa com a participação do público é uma atitude generosa. “A arte é inclusiva”.

Serviço

FILE 2016 – Festival Internacional de Linguagem Eletrônica

Data: 12 de julho a 28 de agosto de 2016

Horário: diariamente, das 10h às 20h (entrada até às 19h40)

Local: Galeria de Arte do SESI-SP | Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Avenida Paulista, 1.313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)

Classificação indicativa: livre para todos os públicos

Entrada gratuita. Mais informações no site www.file.org.br

Agendamentos de grupos: segunda a sexta, das 10h às 18h30, pelos telefones (11) 3146-7439

FILE LED Show

Local: Galeria de Arte Digital SESI-SP (fachada do edifício)

Datas e horários: 12 de julho a 28 de agosto, das 19h às 6h

Hipersônica no FIESP/SESI Domingo na Paulista

Datas: 17, 24 e 31 de julho e 7 de agosto (domingos)

Horários: das 15h30 às 16h30

#filefestivalnosesi