imagem google
Início do conteúdo

Economia não está no melhor momento e indústria está nesse contexto

Em visita pelo interior paulista, Paulo Skaf destaca os esforços do setor produtivo contra os obstáculos à competitividade do Brasil

Agência Indusnet Fiesp

Skaf: importância da cadeia produtiva do frango para a economia brasileira. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, em evento da federação. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp/Arquivo

Alguns setores da indústria vão bem, mas outros estão com dificuldades e, em muitos aspectos, o setor produtivo brasileiro precisa de políticas específicas para elevar o patamar de competitividade, avaliou nesta quinta-feira (03/04) o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

“A economia brasileira não está no seu melhor momento, o crescimento da economia esse ano será de 1,5%, é um crescimento baixo e a indústria está inserida nesse contexto”, afirmou Skaf após visitar uma escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), em Batatais.

“Temos lutado ao máximo, mas muitas coisas não dependem de nós, dependem de políticas, governos e nesse sentido a gente briga bastante para cada vez melhorar a competitividade do Brasil”, completou.

Em março, a Fiesp e o Ciesp revisaram para baixo a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e do PIB da indústria em 2014.

Segundo as entidades, o PIB deste ano deve crescer 1,4%. Já o PIB da indústria de transformação deve recuar 0,8% neste ano. Em 2013, houve crescimento de 1,9% depois de um queda de 2,4% em 2012. Os prognósticos também indicam que a indústria extrativa mineral crescerá 4,6%, após recuo de 2,8% no ano passado.