imagem google

Delegação da Suécia vem ao Brasil para estreitar parcerias comerciais com indústria de mineração

Grupo participou de evento organizado na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais

Agência Indusnet Fiesp,

Com o objetivo de buscar alternativas tecnológicas para enfrentar a crise econômica global, a Suécia organizou uma missão ao Brasil na última quinzena de maio. Na sede da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), a comitiva participou de um seminário sobre inovação no setor de mineração.

O seminário “Inovação no Setor de Mineração – A Experiência Sueca e Brasileira” foi organizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

A reunião, que contou com a presença do ministro da Indústria, Comércio e Inovação da Suécia, Mikael Damberg, e do embaixador do país no Brasil, Per-Arne Hjelmborn, teve início com o pronunciamento do Presidente da Fiemg, Olavo Machado Junior. Ele destacou a importância de debater as relações econômicas entre os dois países.

“Existe uma enorme possibilidade de cooperação entre Brasil e Suécia, ampliada pelos institutos de inovação. É de extrema importância aproximar principalmente as pequenas e médias empresas dos dois países para acordos maiores e mais constantes”, pontuou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542318051

Pauta do encontro com delegação sueca em Brasília foi a indústria de mineração. Foto: Divulgação/Fiesp.


Em seguida, o diretor-presidente do Ibram, vice-presidente da Fiemg e presidente do Sindiextra, José Fernando Coura, relembrou a relação da Suécia com a mineração, especialmente em relação à tecnologia utilizada em minas subterrâneas e em empresas como a Atlas Copco e a Sandvik.

“Minas Gerais e o Brasil precisam ampliar parcerias na inovação, fazendo uma mineração cada vez mais sustentável, responsável e com função social”, reiterou. “Os suecos estão no topo da produção de minério de ferro no continente europeu. Nos últimos anos, devido à tecnologia aumentaram bastante sua capacidade produtiva e é muito positivo que o setor mineral brasileiro tenha contato com essa experiência”, completou.

O presidente do Sindicato da Indústria do Ferro no Estado de Minas Gerais e da Câmara da Indústria Florestal da Fiemg, Fausto Varela Cançado, destacou a questão das florestas plantadas.

“Minas Gerais tem o maior maciço de floresta plantada do Brasil, o que é um terreno muito fértil para que possamos desenvolver um trabalho de inovação em parceria com a Suécia”, elogiou.

Características em comum

O Ministro da Indústria, Comércio e Inovação, Mikael Damberg, afirmou  ainda que o Brasil e Suécia são países muito diferentes, mas que compartilham de muitas características em comum.

“Queremos aproveitar essa oportunidade para tornarmos os vínculos bilaterais mais fortes do que nunca e acreditamos que é extremamente importante que as organizações se envolvam nessas discussões, fundamentais em um cenário de desenvolvimento e crescimento do mercado”.

Clique aqui e ouça reportagem sobre a visita da Suécia

Ouça também aqui a entrevista com  o presidente do Ibram, José Fernando Coura.