“Custo do crédito para o tomador final continua alto”, afirma Roriz

Taxa Selic mantida em 6,5% ao ano tem pouco efeito na redução dos juros para pessoas físicas e empresas

Agência Indusnet Fiesp

O Banco Central decidiu, na reunião desta quarta-feira (20/6), manter a taxa Selic em 6,5% ao ano, seu menor nível histórico.

No entanto, o custo do crédito para o tomador final, representado pelas empresas e pessoas físicas, continua bastante alto, respondendo muito pouco à redução dos juros básicos e dificultando a retomada do crescimento econômico.

O Banco Central é peça-chave na solução deste problema. Ele deve incentivar a concorrência bancária com a rápida adoção do cadastro positivo, com incentivos às empresas que usam a internet para concessão de crédito – as chamadas fintechs – e com a atração de novos bancos para operar no país.

José Ricardo Roriz Coelho

Presidente em exercício da Fiesp e do Ciesp.