imagem google

Confiança dos construtores de SP volta a recuar em setembro

Nível de atividade em relação ao mês anterior do setor passa de 49,3 para 41,6 pontos

Agência Indusnet Fiesp

Após avançar 2,0 pontos em agosto, o nível de atividade em relação ao mês anterior do setor de construção paulista voltou a recuar, passando de 49,3 para 41,6 pontos em setembro. Com o resultado, o indicador consolida sua oitava leitura consecutiva abaixo da linha dos 50,0 pontos. Em setembro de 2017, o indicador registrava 42,8 pontos.

O mesmo ocorreu com os indicadores número de empregados comparado ao mês anterior e utilização da capacidade instalada (UCO). Enquanto o primeiro passou de 48,6 para 41,2 pontos, consolidando o 11º mês abaixo dos 50,0 pontos, o segundo recuou 1,0 p.p., para 52,0%. Em setembro de 2017, os indicadores registravam, nesta ordem, 40,2 pontos e 56,0%.

Os dados são da Sondagem da Construção do Estado de São Paulo, levantamento feito pela CNI e pela Fiesp, com o apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção e do Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado de São Paulo. O resultado foi divulgado nesta segunda-feira (29  de outubro). Clique aqui para ter acesso à íntegra da Sondagem da Construção de setembro e à série histórica da pesquisa.

O indicador atividade em relação ao usual foi o único a avançar em setembro. Apesar da alta, de 31,5 para 33,6 pontos, o indicador consolida sua 65º leitura consecutiva abaixo dos 50,0 pontos.

Em relação às variáveis de expectativas da sondagem, apenas os indicadores de novos empreendimentos e serviços e investimentos recuaram na passagem mensal, com o primeiro caindo de 50,1 para 48,0 pontos e voltando a sinalizar pessimismo, e o segundo recusndo de 30,2 para 26,1 pontos no período, consolidando seu 54º mês abaixo dos 50,0 pontos.

Nível de atividade para os próximos seis meses, compras de matérias-primas para os próximos seis meses e evolução de empregados, por outro lado, avançaram entre agosto e setembro. Enquanto o primeiro passou de 47,0 para 49,4 pontos, após ter recuado na última leitura, o segundo e o terceiro avançaram de 45,2 e 48,8 para 47,5 e 49,3 pontos, respectivamente – consolidando, assim, seu 6º e 5º mês abaixo dos 50,0 pontos, nessa ordem.