imagem google

Compesca quer aumentar participação do setor no Plano-Safra 2011/2012

Coordenador do comitê fala sobre "tirar as travas" e tornar a atividade de pesca mais conhecida entre os atores do setor produtivo brasileiro

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca e Aquicultura (Compesca) da Fiesp organizou um grupo de trabalho para estudar meios de aumentar a participação da atividade pesqueira nos financiamentos previstos pelo Plano-Safra 2011/2012. A iniciativa atende a uma demanda do setor por mais visibilidade.

“Existe o Plano-Safra. A pesca também é uma atitvidade rural, mas os atores não conhecem”, disse Roberto Kikuo Imai, coordenador-titular do Compesca/Fiesp. Segundo ele, o setor hoje é “extremamente desassistido desse financiamento. Precisamos começar a tirar as travas.”.

No dia 30 de junho, o Conselho Monetário Nacional (CMN) elevou de R$ 600 mil para R$ 650 mil o limite por tomador nas contratações de crédito para pesca e aquicultura. A medida também prevê o aumento de R$ 2 milhões para R$ 5 milhões o limite por beneficiário no crédito de comercialização envolvendo empresas produtoras de pescado, associações ou cooperativas de pescadores.

A atividade de pesca também trabalha por safra e possui um fluxo diferente da produção de outras fontes de proteína animal. “Há cultivos que duram dois anos. Diferente do frango, por exemplo, que é abatido no mínimo em 40 dias”, disse Imai.