imagem google

Compesca define grupos de trabalho para preparar a Semana do Peixe

Evento será realizado de 1 a 15 de setembro

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

Em sua terceira reunião plenária de 2017, nesta sexta-feira (19 de maio), o Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca e da Aquicultura da Fiesp (Compesca) definiu a forma de atuação dos grupos de trabalho criados para atuar na organização da Semana do Peixe, evento a ser realizado de 1 a 15 de setembro. Os grupos de trabalho se reunião quinzenalmente, e seus coordenadores farão reunião conjunta a cada mês.

O primeiro é de Engajamento e Comunicação, com funções como criação de logo para o evento, sua divulgação e engajamento do maior número possível de instituições.

O segundo, Formação e Capacitação, deve promover parcerias e ações destinadas a instruir peixeiros e compradores de bares e restaurantes sobre as espécies disponíveis no mercado e sua preparação. Uma possibilidade é realizar workshops. O primeiro tema sugerido é Introdução à Qualidade do Pescado.

Eventos e Captação de Recursos é o terceiro grupo de trabalho estabelecido. Deve organizar e coordenar eventos durante a Semana do Peixe e obter recursos financeiros e parcerias para ela e para outras atividades do Compesca.

O convite para a Semana do Peixe teve 2.000 unidades distribuídas durante a feira da Associação Paulista de Supermercados (Apas). Representando o Compesca, seu diretor titular adjunto Pedro Pereira participou da feira, que em sua avaliação foi muito positiva, pela grande presença de público.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540243949

Reunião do Compesca, conduzida por Roberto Imai e Pedro Pereira. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Atividades do Compesca

Roberto Imai, diretor titular do Compesca, relatou reunião na FGV em 4 de abril para discutir a criação de cursos de pós-graduação com foco na indústria do pescado, em que se concluiu que talvez seja mais viável a introdução de disciplinas ligadas ao tema no MBA de agronegócio.

Também houve reunião, em 12 de abril, na Câmara Setorial de Pesca da Secretaria da Agricultura, com a discussão de temas como a competitividade da indústria paulista, a fiscalização de ilegais, a participação do Compesca em grupo de trabalho sobre ICMS e a lista de espécies em extinção.

Imai também falou sobre a Semana do Peixe, no dia 18 de abril, durante reunião da Comissão de Aquicultura da CNA. Outras reuniões ocorreram em 26 de abril. A primeira, no Departamento do Agronegócio da Fiesp, foi sobre mapeamento do risco no agronegócio brasileiro, com foco na exportação. A outra foi sobre novos negócios da pesca no Estado de São Paulo e drones.

Imai relatou que foram lacradas na semana anterior quatro empresas de Santa Catarina devido ao contrabando de camarão da Argentina. E a operação Fugu, da Polícia Federal, segundo Imai, vai representar para a indústria do pescado o que a Lava Jato vem sendo para as empreiteiras. “Vai faltar peixe branco no Brasil”, afirmou. A operação Fugu investiga, entre outras coisas, a adulteração de peixe importado da China.