imagem google
Início do conteúdo

Como a engenharia militar pode contribuir com os projetos do País?

General vai mostrar que a atuação do Exército pode melhorar a estrutura dos transportes no Brasil e sua participação nos projetos do PAC

A engenharia militar tem sido empregada amplamente nos projetos de infraestrutura do Brasil, por meio das obras executadas no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal.

Na próxima quarta-feira (22), das 8h30 às 13h, o general Ítalo Fortes Avena, chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército Brasileiro, estará na Fiesp para discutir o assunto no seminário Infraestrutura Crítica em Transportes.

A proposta do evento é debater lacunas do setor de transportes que podem oferecer riscos à população e ao desenvolvimento da indústria. O programa abrange ainda a participação do Exército Brasileiro na construção de obras públicas; os desafios do setor de transporte nas grandes cidades brasileiras; a infraestrutura aeroportuária e os desafios da implantação de um trem de alta velocidade no Sudeste do País.

“Nossa ideia é dialogar com setores da indústria, mostrar como trabalhamos e como a engenharia militar pode ser uma solução para os gargalos de infraestrutura do País”, explicou Avena.

De acordo com o general, o Exército desenvolve estudos e projetos para as obras do Plano Nacional de Logística de Transporte (PNLT), do Ministério dos Transportes. “É uma participação dentro do que a nação espera de nós”, afirmou.

No seminário, o diretor titular do Deinfra-Logística e Transportes, Saturnino Sérgio da Silva, vai analisar os elementos de infraestrutura crítica e suas ameaças. “Vamos criar cenários para diagnosticar, elaborar propostas de prevenção e soluções para os incidentes, desastres ou falhas de qualquer natureza, que podem comprometer a segurança e a defesa do País”, adiantou Saturnino.

O evento é uma parceria do Departamento da Indústria de Defesa (Comdefesa), Departamento de Segurança (Deseg) e o Departamento de Infraestrutura – Logística e Transportes (Deinfra-Logística e Transportes) da Fiesp. “O objetivo é oferecer aos empresários informações sobre como atuar em situações imprevisíveis”, destaca o diretor titular do Comdefesa, Jairo Cândido.