imagem google

Benefícios da rede elétrica inteligente Smart Grid são temas de debate no L.E.T.S.

Gestores de empresas de tecnologia aprovam a adoção da rede, que promete revolucionar forma de pessoas, redes e cidades se comunicarem

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542761011

Gilberto Guitarte, presidente da TE Connectivity. Foto: Alberto Rocha/Fiesp

Os usos e benefícios da rede inteligente Smart Grid foram tema de painel da programação desta quarta-feira (21/05) da Semana de Infraestrutura (L.E.T.S.), evento realizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), no Hotel Unique, em São Paulo.

Um dos especialistas convidados para abordar o assunto foi Gilberto Guitarte, presidente da TE Connectivity, que afirmou que as redes de fibra são essenciais, além de funcionarem como ferramentas de alto potencial para atender as novas demandas de energia.

A rede Smart Grid distribui inteligentemente a carga, distribuindo-a automaticamente para os locais necessários, explicou. “A ferramenta melhora a disponibilidade do tempo de interrupção, melhorando também os fatores de potência”.

Guitarte, em seguida, apresentou detalhadamente aspectos técnicos do funcionamento da rede elétrica.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542761011

Paulo Bombassaro, da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL)

Na leitura de Paulo Bombassaro, da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), empresa de distribuição de energia do interior de São Paulo, com sede em Campinas, a ideia de smart grids atuará diretamente sobre o conceito de cidades inteligentes.

Entre os projetos atuais da CPFL, Bombossaro citou a implantação de rede em projetos de operação de rede de mais de 750 mil quilômetros quadrados, “cujo objetivo é o gerenciamento da força de trabalho”. Uma situação real de uso da rede inteligente, destacado por Bombassaro, é a Usina Solar de Tanquinho, a primeira de energia solar do estado de São Paulo e a maior do país, que tem potencial de geração de 1,6GWh/ano.

Por sua vez, Amri Tarsis, da Cisco do Brasil, seguindo a linha de Bombassaro, analisou a aplicação da rede elétrica na gestão das cidades.  “O avanço do Smart Grid traz a necessidade da criação de uma rede elétrica metropolitana”.

Para ele, cidades terão hotspots para redes wi-fi, assim como carros e outros elementos urbanos estarão conectados através de redes de transmissão de informação.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542761011

Tarsis: “O avanço do Smart Grid traz a necessidade da criação de uma rede elétrica metropolitana”. Foto: Alberto Rocha/Fiesp

Além disso, na visão de Tarsis, o Smart Grid está inserido sob o ponto de vista da próxima geração da internet, com a proliferação da conectividade. “Teremos a representação de objeto na internet através de dispositivos de medição física, de eficiência doméstica, da automação industrial.”

Em seguida, Alexandre Murakami, gerente da Segurança de Informação da empresa PromonsLogicalis, falou sobre o cenário atual da segurança de informação. São várias as ameaças hoje, segundo Murakami.

“O fator mais importante na rede é disponibilidade, com alinhamento entre as redes”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542761011

Alexandre Murakami, da PromonsLogicalis. Foto: Alberto Rocha/Fiesp

De acordo com o palestrante, a informação precisa ser protegida por camadas de segurança, através de tecnologias de informações.

Para Ruy Bottesi, diretor do Departamento de Infraestrura (Deinfra) da Fiesp, mediador do painel, a rede inteligente, baseada em fibra e integração de redes, é “uma solução necessária e que precisa de ampliação no Brasil”.


L.E.T.S.

A Semana da Infraestrutura da Fiesp (L.E.T.S.) representa a união de quatro encontros tradicionais da entidade: 9º Encontro de Logística e Transporte, 15º Encontro de Energia, 6º Encontro de Telecomunicações e 4º Encontro de Saneamento Básico.

O evento acontece de 19 a 22 de maio (segunda a quinta-feira), das 8h30 às 18h30, no Centro de Convenções do Hotel Unique, em São Paulo.

Mais informações: www.fiesp.com.br/lets