imagem google
Início do conteúdo

Banco Santander firma convênio com Dempi da Fiesp

Vice-presidente da instituição assinou nesta segunda-feira (29) documento que prevê a participação em eventos de acesso a crédito para MPMIs

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537610626


Milton Bógus e José Paiva Ferreira

O Banco Santander é o mais novo parceiro do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Fiesp para participar da Sala de Crédito. A formalização do convênio foi feita nesta segunda-feira (29) pelo vice-presidente da instituição, José Paiva Ferreira, e pelo diretor titular do Dempi, Milton Bógus.

“É um prazer ter o Santander para complementar este trabalho de promoção de acesso ao crédito para as empresas associadas”, destacou Bogus.

A Sala de Crédito foi criada com o intuito de mapear problemas de crédito das micro, pequenas e médias indústrias. “Detectamos que a dificuldade no acesso e a falta de informações eram os principais entraves”, revelou.

Atualmente participam do programa os bancos Nossa Caixa, Banco do Brasil, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Caixa Econômica Federal.


Mais próximo

“Entendemos que este é um elemento de aproximação muito importante para nós. Se trabalharmos em conjunto, teremos bons resultados”, disse o vice-presidente do Santander, José Paiva Ferreira.

Ele afirmou ainda que espera “que este seja o início de outras parcerias, no sentido de construir uma agenda produtiva e fomentar ainda mais a atividade econômica”.


Programa

A Sala de Crédito foi criada em 2005 pelo Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Fiesp, com o propósito de facilitar o acesso ao crédito. Ao longo dos anos tornou-se importante ferramenta para colocar em contato os agentes financeiros, bancos e indústrias.

Já foram realizadas 11 edições na sede da Fiesp, 13 no Interior do Estado de São Paulo, 7 em sindicatos e 9 em diferentes regionais. As próximas acontecerão nas cidades de Osasco e São Bernardo do Campo.

O Dempi contabiliza 1.500 atendimentos, sendo que 78% deles foram efetivados com liberação de crédito, que representam R$ 215 milhões em recursos liberados.