imagem google

Atividades do Senai-SP são destacadas em reunião na Fiesp

Diretor regional da instituição, Walter Vicioni apresentou alguns pontos do trabalho da indústria paulista na formação profissional para os membros do Conselho Superior de Estudos Avançados da federação

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Foi realizada, na manhã desta segunda-feira (22/05), na sede da Fiesp, em São Paulo, a reunião do Conselho Superior de Estudos Avançados (Consea) da federação. O debate teve como convidado o diretor regional do Senai-SP e superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni. Na ocasião, ele destacou a importância dos ensinos técnico e superior desenvolvidos pelo Senai-SP e as atividades das editoras da indústria paulista. O encontro foi conduzido pelo presidente do conselho, Ruy Altenfelder Silva.

Vicioni lembrou que o Senai-SP foi criado, em 1942, “por empresários visionários”, já tendo nascido como “uma instituição moderna”, com foco nos cursos de aprendizagem industrial. “Sempre oferecemos a possibilidade de realização de cursos nas próprias indústrias, as escolas de extensão”, disse. “O Senai-SP já nasceu com flexibilidade, com formação continuada para os trabalhadores da manufatura”, explicou.

Outro ponto importante no trabalho da instituição, conforme Vicioni, é o apoio ao desenvolvimento tecnológico das empresas.

E isso com foco em projeto, processo e produto na condução e avaliação dos cursos, o que inclui o acompanhamento dos alunos egressos.

Ele destacou ainda o vínculo do desenvolvimento econômico ao desenvolvimento das pessoas, uma das premissas do trabalho do presidente da Fiesp, do Senai-SP e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

O compromisso com a atualização e aperfeiçoamento dos técnicos e docentes da instituição, com a metodologia do “aprender fazendo”, também foi citado. Assim como o acesso a tecnologias de ponta e o desenvolvimento de pesquisas e inovação em parceria com as indústrias, sempre com foco no incremento de qualidade, produtividade e competitividade das empresas.

Segundo Vicioni, há um projeto de internacionalização das faculdades da rede. “Temos 16 faculdades hoje”, disse. “Entramos em áreas nas quais não existe a oferta de cursos similares no mercado”.

Nesse ponto, a instituição tem parcerias com instituições de ensino na Holanda, França, Portugal, Itália e Alemanha, entre outros países.

No que se refere aos cursos técnicos, são oferecidas 38 habilitações nas mais variadas áreas: de alimentos a construção civil. E isso envolve até modalidades de ensino à distância.

Entre 2005 e 2017, de acordo com Vicioni, o Senai-SP recebeu investimentos de R$ 2,1 bilhões.

Editoras

As editoras da indústria paulista, a Sesi-SP e a Senai-SP editoras, foram criadas para proteger o conhecimento produzido na área e publicar os conteúdos elaborados pelos profissionais das duas instituições. “Já recebemos mais de dez prêmios Jabutis, o mais importante na área literária no Brasil”, disse. “Ganhamos muito prestígio com a doação de um acervo de 900 títulos da editora Cosac Naif, que desenvolveu um trabalho muito sofisticado”.

Somente a Senai-SP Editora imprime uma média de 200 mil livros por ano, com um catálogo com mais de 500 títulos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539695018

Vicioni: “O Senai-SP já nasceu com flexibilidade, com formação continuada para os trabalhadores da manufatura”. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp