imagem google
Início do conteúdo

Impulsionada pelo setor de Máquinas e Equipamentos, atividade industrial sobe 2,1% em janeiro

Na comparação mensal com ajuste sazonal, indústria de Máquinas e Equipamentos cresceu 3,3%, aponta pesquisa da Fiesp e do Ciesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537638498

Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisa e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista registrou alta de 2,1% em janeiro, com relação a dezembro de 2012, na série com ajuste sazonal. O desempenho foi estimulado pela alta de 3,3% do setor de Máquinas e Equipamentos no mês passado.

Esses dados indicam que a indústria de transformação pode estar em trajetória de melhora, conforme mostraram os números divulgados pela Federação e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp) nesta quinta-feira (28/02).

Segundo o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos, Paulo Francini, o bom desempenho da atividade indústria no segmento de Máquinas se configura como boa notícia para a produção e confirma o anúncio feito pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de que as consultas para investimento na indústria aumentaram nos últimos meses.

“Finalmente, Máquinas e Equipamentos começa a se mover. Há uma recuperação de investimento dando razão a expectativa do próprio BNDES, de um acréscimo importante quanto a consultas para investimento no setor”, explicou Francini. “Parece que aquilo que era consulta transformou-se em realidade de renda e de produção no mês de janeiro”, avaliou.

Dos setores analisados pela pesquisa em janeiro, o desempenho do segmento de Máquinas e Equipamentos se destacou ao registrar ganhos 3,3% na leitura mensal, considerando os efeitos sazonais, seguido por Metalurgia Básica com alta 1,3%, com ajuste. O setor de Minerais não Metálicos anotou crescimento de 0,8% na leitura mensal com ajuste sazonal.

A pesquisa de Emprego, divulgada pela Fiesp e o Ciesp na semana passada, apontou que o setor de Máquinas e Equipamentos criou  2.080 postos de trabalho em janeiro, movimento considerado por Francini como um “bom sinal”.

O diretor da Fiesp manteve os prognósticos de crescimento de 3% para o Produto Interno Bruto (PIB), ganho de 2,8% para o PIB da indústria e alta de 2,3 para o INA em 2013.

“O mês de janeiro se afigura para nós como excepcional, positivamente diferente. Temos dúvida quanto a tal ímpeto de se manter, porém, de qualquer maneira, estamos numa trajetória de melhora da indústria de transformação”, afirmou o diretor da Fiesp.

Atividade industrial

Na leitura sem ajuste sazonal, o índice apresentou variação positiva de 3,7% na comparação mensal. Em comparação com janeiro de 2012, a atividade industrial durante o primeiro mês de 2013 cresceu 6,5%. No acumulado de 12 meses, o desempenho do setor manufatureiro paulista apresentou alta de 3,2%, na leitura sem ajuste sazonal, em relação ao período imediatamente anterior.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) manteve-se praticamente estável em 82,6% em janeiro, versus 82,4% em dezembro do ano passado, com ajuste. Na comparação sem ajuste sazonal, o componente também apresentou estabilidade, ficando em 80,6% contra 79,4% em dezembro.

Expectativa

A percepção geral dos empresários com relação ao cenário econômico no mês de fevereiro, medida pelo Sensor Fiesp, melhorou: 52,2 pontos contra 49,8 pontos em janeiro.

A sondagem com relação ao item Mercado também apontou uma melhora para 55,5 no mês corrente, versus 52,8 pontos em janeiro. O mesmo aconteceu com o indicador Vendas, que avançou para 52 pontos, ante 49,8 pontos no mês passado.

O indicador de Estoque ficou em 43,3 pontos em fevereiro, ante 44,4 pontos em janeiro, indicando reservas acima do desejado pela indústria. O item Emprego também se manteve estável em 50 pontos no mês corrente, contra 50,6 pontos no mês anterior.

A percepção dos empresários quanto ao Investimento apresentou forte melhora, passando de 51,5 em janeiro para 60,3 em fevereiro.  “Isso para nós é muito positivo porque significa que a indústria está com uma nova percepção e isso é o que move o seu investimento”, afirmou Francini.

Com exceção do item Estoque, resultados do Sensor acima de 50 pontos revelam expectativas positivas.