Atividade da indústria paulista fecha o trimestre com queda de 2,3% - FIESP

Atividade da indústria paulista fecha o trimestre com queda de 2,3%

Bernadete de Aquino, Agência Indusnet Fiesp

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista fechou o terceiro trimestre do ano em queda de 2,3%, sem os efeito sazonais,  em relação ao trimestre anterior. Em setembro, a redução foi de 0,2%, se comparada ao resultado de agosto. Os dados são da pesquisa do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon) divulgada nesta sexta-feira (28/10).

Segundo o diretor do Depecon, Paulo Francini, a manutenção do  fraco desempenho do setor altera a projeção do INA para o ano de 2016,  de 6,4% para 9,0% negativos.  “O ano vai terminar pior para a indústria do que 2015. Talvez o PIB não caia tanto quanto no ano passado, mas o comportamento da indústria vai ser pior em 2016”, diz.

Ao lembrar que o INA registrou quedas significativas em  2014 (-6%) e 2015 (-6,2%), Francini afirma que o quadro da atual economia  é recessivo e devastador, comum em países em guerra ou que sofreram por catástrofes naturais.   “Dois anos de queda na economia só encontramos em 1930,  não há situação paralela depois disto.”

Sobre expectativas para 2017, o diretor de Depecon afirma que não enxerga recuperação e lembra que  fatores que estimulariam a demanda, como emprego, e renda também estão em baixa, além do crédito, cada vez mais restritivo. “A economia  brasileira está em uma trajetória difícil. Para nós, 2016 terminou. Agora é torcer para o final do ano chegar logo, criar novas esperanças e ir em frente”, conclui.

>> Ouça boletim sobre o INA

Setores

Em setembro, o INA do setor de máquinas e materiais elétricos apresentou retração de 2,0%, se comparado ao mês anterior sem os efeitos sazonais. No Total de Vendas Reais a queda foi de 2,5%, enquanto nas Horas Trabalhadas na Produção o registro negativo foi de 2,3%. O NUCI (Nível de Utilização da Capacidade Instalada) apresentou ligeira alta de 0,3 p.p.

O setor têxtil também apresentou queda, desta vez de 1,0%, na passagem de agosto para setembro, na série sazonalmente ajustada. Houve retração no Total Vendas Reais (-1,9%) e nas Horas Trabalhadas na Produção (-1,4%). Com resultado estável, a variação do Nuci ficou em 0,1 p.p.

Sensor

A pesquisa Sensor de outubro fechou em 48,1 pontos, na série livre de influências sazonais, número inferior ao de setembro, quando atingiu 48,9 pontos. Como está abaixo dos 50,0 pontos, o sensor sinaliza queda da atividade industrial para o mês.

No mês, os únicos avanços foram das variáveis emprego, que passou de 47,7 pontos no mês anterior para 48,8 pontos, e mercado, que passou de 46,9 para 48,8 pontos, mas os resultados abaixo dos 50,0 pontos ainda indicam expectativas pessimistas para o mês.

Depois de três meses de estoque ajustado, o indicador passou de 52,8 para 48,9 em outubro e, por ser inferior a 50,0 pontos indica que está em nível acima do desejável.

As variáveis vendas e investimentos também registraram queda de pontos no Sensor.

Clique aqui para ter acesso à pesquisa completa e à série histórica.