imagem google

Ainda buscando entrosamento, vôlei masculino do Sesi-SP perde em casa para Brasil Kirin

Em jogo pelo campeonato paulista, equipe é derrotada por 3 sets a 2 pelo time de Campinas

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Na estreia oficial de Lucarelli e Renan, a equipe masculina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) mostrou poder de reação, mas acabou sofrendo seu primeiro revés na temporada 2013/14. Jogando em casa, na Vila Leopoldina, o Sesi-SP foi derrotado no início da noite deste sábado (31/08) pelo Brasil Kirin, equipe que tem como base o extinto Medley Campinas. Os visitantes venceram por 21/17, 21/18, 13/21, 18/21 e 15/12) em 1h44 de tempo jogado.

Com o resultado, o Sesi-SP perdeu a chance de acesso direto às semifinais do campeonato paulista e precisará decidir a vaga com o sétimo colocado da tabela de classificação, a ser definido, possivelmente Atibaia ou São Caetano.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1563954128

Lucarelli ataca pela entrada de rede. Ponteiro marcou 16 pontos em sua estreia pelo Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Para o técnico do Sesi-SP, Marcos Pacheco, o Brasil Kirin mereceu ganhar. “Jogou melhor que nós, teve um volume maior de jogo que o nosso”, avaliou.

De acordo com Pacheco, o Sesi-SP tem atletas excepcionais, mas ainda é preciso melhorar o conjunto para formar um time. “Eles são espetaculares um por um. Nós temos que fazer uma equipe espetacular.”

“Precisamos de tempo para entrosar o time. Tivemos oportunidade de fazer algo melhor hoje, mas passou. Não vamos ficar chorando”, resumiu o técnico do Sesi-SP.

Segundo André Heller, central do Brasil Kirin, a vitória foi boa, mas ainda não representa muito nas atuais circunstâncias. “É muito cedo, é o nosso sexto jogo oficial na temporada. Tenho muito os pés no chão, temos muito a melhorar, erramos muito”, disse o campeão olímpico.

Afirmando estar feliz em jogar pelo Sesi-SP, Lucarelli lamentou a derrota na estreia. “O time de Campinas mudou muito pouco e o entrosamento deles está mais afinado”, disse o ponteiro, que disse ter estranhado a bola, de um fabricante diferente daquele que faz a bola com a qual vinha  jogando pela seleção brasileira. “Eu fiquei treinando  quatro meses seguidos com uma bola. Treinei só dois dias com essa. Isso pesa um pouco, mas não pode ser desculpa. O jogo dava para ter ganhado se a gente errasse um pouco menos, mas bola pra frente.”

Outro estreante, Renan elogiou o adversário. “O time deles está bem consistente, grandes jogadores”, afirmou destacando que entrou na inversão do 5-1 com Bernardo Roese pelo maior entrosamento com o levantador reserva.

Na análise de Sandro, levantador do Sesi-SP, o jogo foi equilibrado. “Eles jogaram muito bem, nós jogamos um pouco abaixo. Nosso saque não entrou muito, mas dá para ter um parâmetro do que vamos enfrentar na Superliga”, disse Sandro, para quem o Sesi-SP precisa agora treinar pensando na equipe que enfrentará nas quartas de final – possivelmente Atibaia ou São Caetano.  “Nossa equipe tem muita coisa para melhorar. É só o início de trabalho.”

Evandro foi o maior pontuador da partida, com 22 pontos, seguido por Lucarelli (16 pontos), Lucão (11 pontos), Sidão (10 pontos), Renan (cinco) e Manius (quatro).

Pela equipe de Campinas, Rivaldo liderou a pontuação, com 20 pontos, seguido por Diogo (15 pontos), Bravo e Gustavão (ambos com oito pontos), André Heller (seis) e Rodriguinho (um).


Escalações

O Sesi-SP jogou com Sandro, Evandro, Sidão, Manius, Lucão e Lucarelli. Serginho foi o líbero. Entraram Renan, Alisson, Roese, Lucianinho e Tarcisio. Técnico: Marcos Pacheco. Assistente técnico: Marcel Matz.

O Brasil Kirin entrou com Bravo, Diogo, Gustavão, Rodriguinho, Rivaldo e André Heller. Alan jogou de líbero. Jogaram Bergamo, Paulo Renan e Juninho. Técnico: Alexandre Rivetti. Assistente: Fabiano Ribeiro.

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1563954128

Lucão disputa bola. Sandro e Lucarelli observam. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

O primeiro set começou muito equilibrado, com ligeira vantagem para o Brasil Kirin, que chegou ao primeiro tempo obrigatório na frente: 07/06. Os visitantes abriram dois pontos (13/11) e Marcos Pacheco pediu tempo. Evandro, em belo ataque pela saída de rede, diminuiu, mas o time de Campinas seguiu comandando o placar, chegando ao segundo tempo obrigatório com 15/13. Rodriguinho, variando muito as jogadas, acionou Rivaldo para marcar 17/14. Os visitantes não desperdiçaram ataques e chegaram a 19/16, forçando novo pedido de tempo de Marcos Pacheco, que tentou a inversão do 5-1, tirando Evandro e Sandro, e colocando Renan e Bernardo Roese. Na volta, Sidão, bem marcado, sofreu o bloqueio e os visitantes chegaram ao set point: 20/16. Os visitantes fecharam o parcial por 21/17.

O segundo set começou equilibrado, com as equipes aproveitando as jogadas pelo meio –Lucão pelo Sesi-SP e André Heller pela equipe de Campinas, que chegou na frente no primeiro tempo obrigatório: 07/05. O Sesi-SP voltou bem e marcou dois pontos seguidos. Depois de um belo rali, Evandro virou a bola e colocou o Sesi-SP na frente. Os adversários aproveitaram contra-ataque para retomar a dianteira e fazer 13/11. O Brasil Kirin chegou à segunda parada obrigatória com 15/12. O Sesi-SP voltou bem e empatou com Lucarelli, pela ponta. Na sequência, o Brasil Kirin abriu dois pontos (18/16) e Marcos Pacheco pediu tempo. Na volta, o Sesi-SP acertou o passe e Sidão fez pelo meio: 17/18. Mas, com erros de saque e de ataque do Sesi-SP, o time de Campinas fechou o parcial em 21/18.

No terceiro set, Sesi-SP voltou bem melhor, explorando o saque forçado de Lucão e, com o bloqueio bem postado, chegou ao primeiro tempo obrigatório com 07/01. A vantagem foi reduzida em um bom momento do central do Brasil Kirin, Gustavão. Depois de marcar pelo meio, o gigante foi para o serviço e os visitantes marcaram quatro pontos seguidos, forçando pedido de tempo de Marcos Pacheco. Manius, bem no bloqueio, fez 09/05. No saque, Sidão soltou o braço e fez 11/07. O Sesi-SP chegou à segunda parada obrigatória com um ataque forte de Lucarelli pela ponta: 15/09. Renan entrou bem – no bloqueio, o atleta de 2,17m fez 18/11. Manius fechou o terceiro set, explorando o bloqueio, depois de um pequeno rali: 21/13.

No quarto set, o Sesi-SP continuou bem, aproveitando os contra-ataques e com o bloqueio bem posicionado. Lucarelli fez o ponto da primeira parada obrigatória (07/03). O estreante seguiu bem no jogo começou a pontuar, marcando o ponto da segunda parada, depois de subir da linha atrás dos para atacar pelo meio de rede. O Brasil Kirin se recuperou com Rivaldo no saque e encostou: 15/14. Marcos Pacheco pediu tempo, mas Rivaldo continuou acertando o braço e empatou. Na sequência, Sandro recebeu a bola na mão e deixou Evandro em situação privilegiada para marcar o 16/15. No rali mais emocionante do jogo, novamente Evandro aproveitou e fez 17/15. O oposto do Sesi-SP, maior pontuador do jogo, fez mais um no bloqueio (19/17) e depois conseguiu o set point (20/18). O Sesi-SP  fechou o set em erro do adversário: 21/18.

No tie-break, o Brasil Kirin conseguiu abrir três pontos (06/03). Marcos Pacheco pediu tempo e Sidão, em jogada rápida, diminuiu: 04/06. Rivaldo explorou o bloqueio e faz 08/05.  Em lance polêmico, o árbitro deu invasão e os visitantes abriram quatro pontos (09/05). O time de Campinas ampliou a diferença: 11/06. Lucarelli diminuiu para 09/13. Em saque que resvalou na rede, caindo na quadra adversária, o Sesi-SP diminuiu e deu esperanças para a torcida: 10/13. A diferença caiu para dois pontos: 11/13, mas, com Rivaldo, o Brasil Kirin chegou ao match point: 11/14. Evandro diminuiu para 12/14, mas os visitantes não desperdiçaram a chance e fecharam por 15/12: 3 sets a 2.

Retrospecto

Este foi o sexto jogo do Sesi-SP na competição. Nas partidas anteriores, o Sesi-SP venceu, pela ordem, São Caetano (3 sets a 0), São José dos Campos (3 sets a 2), Climed/Atibaia (3 sets a 0), Funvic/Taubaté (3 sets a 2) e São Bernardo (3 sets a 0).

Público

O jogo teve na plateia alunos da escola municipal Pedro Nava, no bairro Rio Pequeno, em São Paulo, e jovens que integram o programa “Atleta do Futuro” no bairro de Guarapuã, no município de Dois Córregos, que tem uma parceria com o Sesi-SP de Jaú. Após a partida, atletas e comissão técnica do Sesi-SP posaram para uma foto com os jovens.