imagem google
Início do conteúdo

Acordo entre UE e Mercosul vai beneficiar comércio entre Brasil e Suécia, diz ministro sueco

Mikael Damberg, ministro da Indústria, Comércio e Inovação da Suécia, participa de encontro na Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

O governo da Suécia acredita “fortemente” que o acordo de livre comércio entre União Europeia e Mercosul, em negociação há mais de 15 anos, deve beneficiar não só as economias de ambos os blocos como também as relações comercias entre o Brasil e os parceiros suecos.

A avaliação é do ministro da Indústria, Comércio e Inovação da Suécia, Mikael Damberg, que participou nesta quarta-feira (20/5) de um seminário sobre cooperação industrial na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), como parte de uma missão no Brasil. Ele deve ainda cumprir agenda em Brasília nesta quinta-feira (21/5), em esforço de estreitar a relação de comércio bilateral.

“Vemos com bons olhos os progressos nas negociações entre UE e Mercosul, que já ocorrem há muito tempo.  Esperamos que as negociações possam ser finalizadas assim que possível”, disse.

Em fevereiro deste ano, a Alemanha também manifestou seu apoio à aceleração das negociações entre os dois blocos. Durante visita ao Brasil, o ministro do Exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, afirmou o interesse do país na conclusão do acordo, que agora depende de um parecer da liderança da UE.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537912206

Ministro Mikael Damberg: "Gostaria de discutir como podemos remover barreiras". Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ainda durante o seminário “Cooperação Industrial Brasil-Suécia”, organizado pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, o ministro sueco Damberg manifestou seu desejo em “remover barreiras comerciais” entre a Suécia e o Brasil.

“Gostaria de discutir como podemos remover barreiras e elevar o comércio bilateral, o que é uma necessidade para a cooperação industrial de longo prazo”, disse Damberg ao citar três áreas de interesse por parte do governo sueco: aeronáutica, mineração e bioeconomia.

Também participaram do encontro o vice-presidente da Fiesp Josué Christiano Gomes da Silva e o embaixador da Suécia, Per-Arne Hjelmborn.

O ministro Mikael Damberg está em missão no Brasil acompanhado de uma delegação de pelo menos 50 empresários e autoridades suecas.

Comércio Brasil e Suécia

A balança comercial com a Suécia foi deficitária para o Brasil nos últimos anos, registrando um déficit de US$ 1,1 bilhão em 2014.

O Brasil exporta principalmente minério, com 26,7% da pauta, café (24,5%) e ferro fundido (9,9%) para o parceiro sueco. Em relação às importações brasileiras, a pauta se concentra em máquinas, com 34,3%, e veículos, com 21,4% do total importado.