imagem google
Início do conteúdo

‘A educação ambiental é a chave para o desenvolvimento do país’, diz professora

Especialista no tema, Rosimeire Oliveira criticou a falta de conscientização sobre o assunto no Brasil em debate na tarde desta terça-feira (06/06)

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

No segundo dia da 16ª Semana do Meio Ambiente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), com apoio do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), que teve início nessa segunda-feira (02/06), foi realizado um debate sobre educação ambiental com a professora Rosimeire Oliveira, da escola Senai Mario Amato, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O evento está sendo realizado na sede da Fiesp e do Ciesp, na Avenida Paulista, em São Paulo, seguindo até esta sexta-feira (06/06).

De acordo com ela, a cultura de preservação e preocupação ambiental adquirida no ambiente de trabalho, muitas vezes, não é levada pelos funcionários ao ambiente externo, como a sua comunidade e residência. “A questão da reciclagem na indústria é muito forte, e até mais fácil do que em sua própria casa, porque está tudo à mão e organizado”.

Rosimeire criticou a falta de conscientização sobre este assunto e questionou se as pessoas fazem isso por uma “ordem ou imposição da indústria”, uma vez que, em casa, esse tipo de ação raramente ocorre. “Na indústria somos condicionados a não desperdiçar nada e em casa isto não acontece”, reiterou.

Rosimeire: diferenças de comportamento na indústria e em casa. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Rosimeire: diferenças de comportamento na indústria e em casa. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

A professora destacou que a educação ambiental é a chave para o desenvolvimento de um país.  “Não é possível existir uma população que tem todas as oportunidades e condições de desenvolvimento se ela não tem esse olhar para o meio ambiente”, explicou. “Se esgotarmos os nossos recursos, não há mais nada que possamos fazer”.

Consequências

Rosimeire apresentou ainda problemas recorrentes no que diz respeito ao meio ambiente e analisou as mudanças climáticas globais e suas consequências para a biodiversidade, como o aquecimento global. Foram expostas pesquisas, estudos e relatórios sobre o meio ambiente e os impactos de problemas ambientais no Brasil.

Para a especialista no tema, o crescimento urbano, por exemplo, é um forte agente de pressão para o desmatamento, além de promover o aumento da poluição doméstica e industrial, principalmente por conta da queima de combustíveis fósseis e da crescente demanda por energia.

A importância da reciclagem de eletrônicos que não são utilizados também foi colocada em pauta. Segundo Rosimeire, a maioria das pessoas não está informada e não sabe onde é possível descartar esses objetos, quem podem causar um impacto ambiental muito grande caso não sejam jogados fora em locais adequados.

>> Confira a programação completa da 16ª Semana de Meio Ambiente da Fiesp/Ciesp