Copagaz: Software ajuda empresa a economizar 22% de sua energia primária


Novo sistema de gestão da Copagaz permitiu mensurar e monitorar em tempo real todos os indicadores de sustentabilidade da empresa.

Por Karen Pegorari Silveira

A busca pela melhoria contínua no seu desempenho estimulou a Copagaz, uma das maiores distribuidoras de gás liquefeito do país, a adotar na sua estratégia premissas de sustentabilidade e a criarem iniciativas visando: o desenvolvimento de seus funcionários, estabelecimento de relações leais com seus parceiros de negócio, desenvolvimento de mecanismos que garantam a satisfação dos clientes, relacionamento de valor com a comunidade de entorno e aprimoramento cotidiano da Política de Gestão Ambiental, que tem como um dos pilares o consumo consciente de recursos naturais.

Desde então, essas iniciativas e resultados obtidos são divulgados no Relatório Anual de Sustentabilidade que segue as diretrizes do GRI (Global Reporting Initiative).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537436524

A empresa é uma das principais distribuidoras de gás liquefeito no Brasil

Assim, a partir de seu compromisso com a Política de Gestão Ambiental e acostumados a monitorar seus indicadores operacionais, a Copagaz, decidiu estabelecer uma gestão mais detalhada com relação ao seu consumo de energia, água, investimentos ambientais, entre outros.

Após análise dos indicadores GRI (Global Reporting Initiative), eles sentiram a necessidade de ir mais a fundo nesse controle e implantaram uma ferramenta, customizada exclusivamente para eles por uma consultoria de business intelligence, que coleta e analisa as informações para os Relatórios de Sustentabilidade.

Dessa forma, o trabalho que antes era realizado por meio de planilhas de Excel e enviado de cada filial pela intranet, agora está totalmente reformulado. Hoje o sistema de gestão, que pode ser acessado de qualquer local, permite à Copagaz mensurar e monitorar em tempo real todos os seus indicadores de sustentabilidade. São observados indicadores de diferentes áreas, como: Recursos Humanos, Engenharia, Saúde e Segurança. O novo software trouxe uma flexibilidade que antes não tinham e também permitiu que fossem estabelecidas metas e estratégias a longo prazo a partir da identificação dos impactos gerados pela empresa.

O resultado foi percebido nos acidentes com afastamento, por exemplo. O número de dias perdidos caiu pela metade, de 2005 casos para 1046 entre 2010 e 2012; e as doenças ocupacionais caíram de 5 casos para 0 (zero) entre 2010 e 2012. A facilidade de poder concentrar e gerenciar as informações da empresa numa mesma ferramenta também foi um grande ganho; mas o maior ganho foi conseguir entender os padrões de consumo e monitorá-los de forma mais assertiva.

Gerenciar os gastos das 13 filiais e 14 depósitos avançados e controlar isso também ajudou a garantir redução de custos, pois, em um mês que o gasto de energia, por exemplo, tenha sido maior que a média, todos envolvidos atuam com o objetivo de reduzir e sanar esse problema. O controle é maior. Com essa atitude o consumo de energia primaria diminuiu de 646 gigajoules (GJ) em 2010 para 506 gigajoules (GJ) em 2012. Uma economia de 22%.

Segundo o engenheiro ambiental Claudio Teodoro “O novo software implantado trouxe maior agilidade e fortaleceu a gestão da empresa sobre esses indicadores estratégicos”, avalia o profissional.
Imagem relacionada a matéria - Id: 1537436524