Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação

Este trabalho analisa a produtividade física do trabalho na Indústria de Transformação. O indicador é elaborado pelo DEPECON a partir dos dados do IBGE, FIESP e CNI.

A partir do mês de referência janeiro de 2015, o cálculo da produtividade física do trabalho na Indústria de Transformação mudou.

O cálculo continua utilizando as informações de produção física industrial da PIM-PF do IBGE, mas passa a utilizar as informações de horas trabalhadas na produção do Levantamento de Conjuntura da FIESP para o Estado de São Paulo e dos Indicadores Industriais da CNI para o Brasil, ao invés de utilizar as informações de horas pagas da PIMES do IBGE.

Mudanças nas pesquisas do IBGE, haviam impossibilitado o cálculo da produtividade por setores da indústria e, mais recentemente, o cálculo da produtividade para a indústria paulista. A partir de agora, será possível voltar a divulgar a produtividade por setor da indústria no Brasil e em São Paulo.

A utilização dos dados da FIESP e da CNI, por serem referentes a horas trabalhadas na produção e não horas pagas (como na PIMES), oferecem um melhor indicador, mais próximo na definição de produtividade. Além disso, essa mudança permitirá uma redução do tempo para a divulgação dos indicadores em cerca de duas semanas.

 Para acessar o estudo referente a Agosto de 2017, utilize o menu ao lado.