Iniciativas Sustentáveis: OJI Papéis – qualificação profissional

Para esta indústria de papéis a qualificação interna foi uma alternativa viável e rentável para ter profissionais mais especializados e, ainda, manter a baixa taxa de rotatividade

Por Karen Pegorari Silveira

Nos países desenvolvidos os empregadores investem ativamente na educação profissional de seus funcionários. De acordo com um estudo do Banco Mundial, nos países membros da Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OCDE), mais de metade de todas as empresas oferecem aos seus funcionários educação continuada de algum tipo.

Este cenário também tem inspirado empresas pelo Brasil, como a OJI Papéis Especiais, que desde 2012, investiu em diversos programas de formação profissional, como por exemplo o Bolsa de Estudos, e já concedeu 41 bolsas e 36 cursos de idiomas.

Em 2014, quatorze profissionais foram beneficiados com a bolsa de idiomas; mais seis profissionais receberam bolsa de graduação; quatro bolsas de pós-graduação, além de três com bolsa de pós-graduação em Celulose e Papel – que faz parte de outro programa da empresa. Este segundo programa tem o curso 100% pago pela empresa aos profissionais para os quais os conhecimentos são necessários no desenvolvimento de suas atividades. Dois profissionais já estão formados e outros três em fase de conclusão do curso.

Através destes cursos, um dos profissionais utilizou o Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) para desenvolver um projeto de melhoria em um dos processos de produção da OJI e ajudou a empresa a reduzir o consumo de vapor em mais de 3% e a economizar cerca de R$600 mil por ano, sendo que o projeto ainda tem potencial para atingir uma diminuição total de até 5%.

Segundo o vice-presidente da empresa, Agostinho Monsserocco, a formação interna é uma alternativa viável e rentável. “Quando encontramos um bom profissional, temos que valorizá-lo. Hoje, a nossa taxa de rotatividade é baixíssima e quase 80% dos profissionais dizem que querem continuar trabalhando aqui pelos próximos cinco anos. Isto reflete também na qualidade dos nossos produtos e no índice de satisfação de nossos clientes, que está acima de 90%”, aponta.

Ainda segundo Monsserocco, a empresa, que possui quase 600 profissionais e produz mais de 70 mil toneladas de papel por ano, conta com um processo produtivo de alta tecnologia, com operações e monitoramentos feitos, em sua maioria, por softwares. Por isso a necessidade de um profissional com capacidade analítica e capacitação técnica.

Sobre a OJI Papéis Especiais

Líder do mercado de papéis térmicos na América Latina, o Grupo OJI Holdings Corporation, fundado em 1873 no Japão, atualmente conta com mais de 26 mil profissionais e atua em quatro continentes com mais de 300 subsidiárias e unidades fabris. Em setembro de 2011 o grupo japonês assumiu o controle da fábrica de papéis especiais de Piracicaba, iniciando suas operações no setor de papel no Brasil. A OJI PAPÉIS ESPECIAIS tem como princípios a proteção ao Meio Ambiente, a promoção da Cultura, a Geração de Trabalho e Renda e o incentivo ao Esporte.