Iniciativas Sustentáveis: Renault – empoderando mulheres

Programa para fortalecer a presença das mulheres nesta indústria automobilística ajudou a melhorar o produto final e a atender a demanda de um nicho de mercado que, atualmente, é responsável por mais de 70% das decisões de compra

Por Karen Pegorari Silveira

Dados do Fórum Econômico Mundial indicam que as nações com maior nível de igualdade de gêneros tendem a ser mais prósperas. Ou seja, oferecer às mulheres as mesmas oportunidades dos homens não é somente uma questão de justiça, faz também todo o sentido para a economia. Afinal, elas representam metade da população mundial e apenas 40% da força de trabalho.

Há ainda o poder de consumo feminino. De acordo com uma estimativa da consultoria BCG, os gastos das mulheres atingem mais de 20 trilhões de dólares – maior do que a economia dos EUA e da China juntas. E segundo cálculos da consultoria Booz & Company, equiparar a taxa de emprego das mulheres e dos homens seria um impulso capaz de elevar 9% o PIB do Brasil, 5% o dos EUA e 27% o da Índia.

Mas as mulheres não querem apenas consumir, seu objetivo é, principalmente, contribuir na geração de renda e riqueza do país.

Empresas que percebem esse potencial mercado produtor e consumidor, tendem a ser mais bem sucedidas em seus produtos e serviços, como é o caso da Renault, a primeira montadora da América Latina a aderir aos Princípios de Empoderamento das Mulheres, um programa da ONU Mulheres e Pacto Global das Nações Unidas que visa promover a igualdade de gênero em todas as atividades sociais e da economia. Com essa adesão ao WEPs (Women’s Empowerment Principles), a empresa torna público o compromisso da alta liderança com os princípios estabelecidos pelo programa e demonstra o seu compromisso com a responsabilidade social.

Uma das ações que a companhia criou foi o grupo Women@Renault (W@R), um grupo formado por homens e mulheres com o objetivo de fortalecer a diversidade de gênero dentro do Grupo Renault – cada unidade no mundo possui um grupo local. O W@R desenvolve ações que visam aumentar a porcentagem global de mulheres na empresa em todos os níveis. Com isso, a Renault espera desenvolver o potencial das mulheres e também atraí-las para este setor industrial que tradicionalmente é masculino.

Um resultado positivo que inspirou a empresa a aderir ao empoderamento das mulheres, foi o desenvolvimento do veículo Captur (SUV compacto lançado na França em 2014, sem previsão de lançamento no Brasil). Ele foi o primeiro produto totalmente desenvolvido por uma equipe formada de maneira equilibrada entre homens e mulheres e o resultado surpreendeu a empresa. “O carro é um sucesso e traz detalhes estéticos, de design, de tecidos, de iluminação, de posição de assentos e de tamanho de retrovisor que refletem este equilíbrio de necessidades entre homens e mulheres”, conta o assessor de imprensa, Ubirajara Barbosa Alves.

A boa aceitação do Captur inspirou a Renault do Brasil a desenvolver uma ação local durante o último salão do automóvel de São Paulo. A iniciativa envolveu a direção de Produto e o Women@Renault e convidou um grupo de 50 colaboradoras, que são também clientes – pois dirigem veículos da marca, para, com base numa análise do produto da Renault e dos concorrentes diretos, buscarem ideias que contribuíssem para evolução dos modelos Sandero e Sandero Stepway. Organizadas e acompanhadas por uma empresa especializada neste tipo de ação, elas foram orientadas a visitar os estandes com veículos de outras marcas concorrentes diretos dos modelos Renault. A dinâmica incluiu, num primeiro momento, a verbalização do que viram, o que ouviram, o que sentiram, as percepções que tiveram, a impressão sobre os materiais (tecidos, texturas, odores, cores…). Em seguida, foram convidadas a transformar essas sensações em propostas, focando as necessidades femininas em um automóvel e imaginando uma possível edição especial do Sandero ou do Stepway para o público feminino.

Segundo os organizadores, muitas ideias partiram desta ação. Entre elas: posição do volante para grávidas – necessidade do volante avançar e recuar; posição e local da cadeirinha de bebê – para que a criança possa ser observada pela mãe; materiais e tecidos que possam ser facilmente limpos; local para guardar um segundo par de sapatos; local para guardar maquiagem; criação de um compartimento isolado termicamente para o calor não danificar as maquiagens; porta acessórios femininos – apropriado para óculos de sol, bijuterias, lenços, preferencialmente com chaves; conectividade – sistema que oriente ou avise sobre revisões, calibragens, necessidade de oficina, troca de óleo, etc. Todas as sugestões já estão sendo avaliadas pela área de desenvolvimento de produtos da Renault em São José dos Pinhais e servirão de referência para futuros projetos.

Na Renault do Brasil a presença das mulheres evoluiu de 7% para 12% do total de colaboradores nos últimos 6 anos e as iniciativas para continuar ampliado este número seguem em todas as áreas, mesmo as tradicionalmente dominadas pela presença masculina. Segundo a líder do Grupo W@R, Silvia Barcik, a Renault está trabalhando para aumentar a proporção feminina em seu corpo funcional. “Através do programa Women@Renault são colocadas em prática as ações para recrutar e manter mais mulheres no quadro de funcionários, entretanto, ainda existem barreiras invisíveis, que devem ser identificadas e superadas”, conta ela.

Segundo informações da assessoria de imprensa, é importante lembrar que hoje quase 50% das vendas de carros novos tem as mulheres na decisão direta da compra e no cômputo geral, 80% de todas as vendas sofrem influência direta ou indireta das mulheres. Esse é um dos motivos para que a busca pela diversidade de gênero seja uma iniciativa do Grupo Renault, e envolva todas as empresas do grupo em todo o mundo. O objetivo é muito claro: fortalecer a presença das mulheres nas mais diferentes áreas com o objetivo de tornar a empresa ainda mais competitiva e fortalecer o business.

O presidente da Renault do Brasil, Olivier Murguet, destaca ainda que “A Renault acredita que empoderar as mulheres e promover a equidade de gênero são importantes caminhos para o efetivo fortalecimento das economias e impulsionamento dos negócios”, declara.

Sobre a Renault

A Renault é um indústria francesa de veículos fundada em 1898. Produz automóveis pequenos e médios, furgões, ônibus e caminhões. Com a aliança entre a Renault e Nissan, desde 2006, é um dos patrocinadores master do Women’s Forum, conferência mundial com objetivo de debater as condições sociais e econômicas para o avanço das mulheres no ambiente corporativo.