INICIATIVAS SUSTENTÁVEIS: SOLAR EAR – INCLUSÃO E INOVAÇÃO - FIESP

INICIATIVAS SUSTENTÁVEIS: SOLAR EAR – INCLUSÃO E INOVAÇÃO

Aparelhos a custo 80% menor é a aposta dessa empresa que tem transformado a vida de milhares de pessoas com deficiência auditiva

Por Karen Pegorari Silveira

No mundo existem 250 milhões de pessoas que precisam de aparelhos auditivos, segundo a Organização Mundial da Saúde, mas só 16 milhões são produzidos por ano. Desses, 12% são feitos em países em desenvolvimento, onde há alta incidência desse tipo de deficiência e o uso de tratamentos e remédios contra infecções de ouvido é restrito. Além disso, um aparelho auditivo custa entre R$ 1 mil e R$ 10 mil + R$ 3 por semana para a bateria, valor muito alto para a maioria dos deficientes auditivos do mundo.

Com este quebra-cabeça em mãos, o canadense Howard Weinstein desenvolveu um aparelho auditivo digital de baixo custo, com baterias recarregáveis a energia solar e tecnologia inédita no mundo a um custo 80% menor que as peças tradicionais. A principal inovação está no carregador, que armazena energia durante o dia para recarregar a bateria durante a noite, evitando o descarte de baterias no meio ambiente. Com isso, mais de 200 milhões de pilhas deixarão de ser descartadas no meio ambiente anualmente. Além disso, o carregador e as baterias recarregáveis ainda podem ser utilizados por 90% dos aparelhos que estão no mercado e não apenas em aparelhos da empresa.

Para a fabricação dos aparelhos e carregadores, a Solar Ear apostou na inclusão social e profissional de pessoas com deficiência auditiva. No Brasil, a organização treina 20 jovens por ciclo de trabalho, que recebem durante o programa, treinamento em eletrônica, processos produtivos e procedimentos de qualidade. A capacitação abrange ainda treinamentos em microssolda, normas da ANVISA, entre outros. Este período de treinamento permite que a empresa retenha os melhores talentos para serem multiplicadores do conhecimento em outras localidades, e após o fim de cada ciclo, os jovens estão aptos a ir para o mercado de trabalho.

O objetivo da Solar Ear é garantir que crianças possam receber aparelhos auditivos antes dos três anos de idade e, se possível, aprender como comunicar-se (falar) e ir as escolas regulares, já que não existem muitas escolas para surdos no mundo.

Tudo o que a empresa lucra é reaplicado em suas missões sociais, como capacitar jovens surdos para trabalhar com microeletrônica no Brasil e na China ou combater a Aids na África.  e a tecnologia utilizada é oferecida gratuitamente – não é patenteada – inclusive para potenciais concorrentes. Em 2015, a Yunus investiu R$1,5 milhão na Solar Ear para contratar vendedores e estruturar uma rede de distribuição.

Sobre a Solar Ear

A Solar Ear é um negócio social, sediado em São Paulo (SP), que produz e comercializa aparelho auditivos de baixo custo que são recarregáveis a energia solar. O projeto é desenvolvido a partir de uma parceria entre o Instituto CEFAC e a Universidade de São Paulo.

Para receber notícias como esta, todo mês, em seu e-mail, cadastre-se aqui