Entrevista: ODS na Estratégia dos Negócios

Beatriz Martins Carneiro, da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, mostra como as empresas podem integrar as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável na estratégia do seu negócio

Por Karen Pegorari Silveira

De acordo com a secretária executiva da Rede Brasil do Pacto Global, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável representam uma grande agenda de planejamento global, proporcionando uma linguagem comum e um propósito compartilhado entre empresas, governos e sociedades.

Leia Mais na íntegra da entrevista:

Por que os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) são importantes para as empresas?

Conforme o nosso estudo Integração dos ODS na Estratégia Empresarial – Uma contribuição do Comitê Brasileiro do Pacto Global para a Agenda 2030, lançado no início do mês, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável representam uma grande agenda de planejamento global, proporcionando uma linguagem comum e um propósito compartilhado entre empresas, governos e sociedades. Com 17 objetivos e 169 metas, a proposta da chamada Agenda 2030 é erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. Além disso, os ODS se constituem em um grande canal de diálogo com o governo, uma vez que os 193 países-membros da ONU, incluindo o Brasil, deverão nortear suas políticas públicas a partir deles nos próximos 14 anos.

O Estudo Integração dos ODS na Estratégia Empresarial – Uma Contribuição do Comitê Brasileiro do Pacto Global para a Agenda 2030 foi idealizado pelo Grupo Temático da Rede Brasil do Pacto Global que trabalha os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Trata-se de uma tentativa de promover esta nova agenda de desenvolvimento no Brasil, buscando o engajamento e a sensibilização de lideranças empresariais. Com o propósito de conhecer os esforços e os desafios das empresas do CBPG frente à implementação do 17 Objetivos, nossa ambição foi identificar a maturidade da amostragem dentro dos cinco passos recomendados pelo SDG Compass – o Guia dos ODS para as Empresas, lançado em 2015 pelo UN Global Compact, World Business Council for Sustainable Development  (WBCSD) e Global Reporting Initiative (GRI) no âmbito global e traduzido para o português pela Rede Brasil em parceria com o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds).

As empresas precisam implantar todos os ODS?

A ONU defende que esta é uma agenda de todos e que ninguém pode ficar para trás. Ao dizer isso, ela reforça que nenhum setor isoladamente é capaz de alcançar o conjunto dos 17 ODS. Sendo assim, o setor privado representa uma peça essencial nesta engrenagem, e as empresas devem buscar ajustar a sua agenda com os ODS. É importante salientar que a organização pode começar trabalhando com um único – ou alguns – ODS, talvez aquele que tenha uma relação mais direta com seu core business. Mas é essencial identificar como o(s) ODS escolhido(s) pode(m) afetar os outros, ou seja, não se deve perder a visão sistêmica de que todos estão interligados.

Como definir qual ODS trabalhar?

Segundo o SDG Compass, a escolha dos ODS prioritários deve acontecer sempre por meio de uma análise de impacto negativo. Os ODS que forem impactados mais severamente pela atuação empresarial, incluindo sua cadeia de valor, devem ser eleitos como os mais relevantes para se atuar. Entretanto, volto a dizer que a ONU considera os ODS integrados e indivisíveis e que mesclam, de forma equilibrada, as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.

Como a empresa pode implantar os ODS escolhidos em sua estratégia?

Seguindo o quarto passo do SDG Compass, chamado “Integrando os ODS na estratégia da Empresa”, a empresa deve desenvolver metas e indicadores referentes às mudanças que deseja promover para minimizar o impacto negativo nos ODS mais prioritários. Estas metas devem ser estabelecidas pela cúpula da organização, sendo divididas até metas individuais. Elas devem ter prazos intermediários para seu monitoramento até o deadline final dos ODS, que é 2030.

Quais as vantagens para as empresas que implantam metas dos ODS?

Empresas que ajustam a sua estratégia de negócios frente a uma agenda global como os ODS identificam novas e promissoras oportunidades de negócios, aumentam o valor da sustentabilidade corporativa, fortalecem a relação com outros stakeholders e aumentam a chance de influenciar as políticas públicas, estabilizam sociedades e mercados e utilizam uma linguagem comum e um propósito compartilhado.

Em decorrência do lançamento dos ODS, a Rede Brasil do Pacto Global vem se consolidando como porta-voz oficial da Agenda 2030 para o setor privado brasileiro. Criamos O GT ODS para elaborar metodologias de aplicação no cotidiano das organizações, e o tema perpassa todas as outras nossas atividades. Convido as organizações vinculadas à FIESP a se juntarem a nós, a adesão é voluntária e gratuita. O principal compromisso é com a publicação anual do relatório COP – Comunicado de Progresso, que mostra como a organização está envolvida com a aplicação dos Dez Princípios. Confira as instruções para adesão e acesse o nosso Relatório Anual para saber o que fizemos em 2016.