Investimento em modal rodoviário e transporte público é um dos meios para colocar o Brasil nas vias do desenvolvimento

Defasagem no setor será debatido com especialistas em evento promovido pela Fiesp


O anúncio do governo em investir R$ 42 bilhões na malha rodoviária para construção de 7.500 quilômetros de vias no Brasil, por meio do Programa de Investimento e Logística, é um dos temas que será discutido no 8º encontro de Logística e Transporte, promovido pela Fiesp, nos dias 6 e 7 de maio, no Hotel Unique.

Os novos modelos de concessão representam a consolidação de ideia de que a participação do setor privado é fundamental para a reversão de deficiências acumuladas durante décadas. Comparativamente aos países com os quais disputa posições no cenário internacional, o Brasil está muito abaixo em todos os indicadores de extensão e qualidade de infraestrutura do setor.

Sendo responsável por mais de 60% do transporte de cargas e de 40% do transporte interestadual de passageiros, o setor rodoviário é apontado como predominante entre todos os modais. Isso representa cerca de 6% do Produto Interno Bruto do País. No entanto, cerca de 30% de toda a extensão da malha viária brasileira está danificada pela falta de manutenção, o que resulta em prejuízos para o transporte de cargas fazendo o Brasil perder competitividade.

Outro assunto crítico que também será discutido durante o evento será a mobilidade urbana. O intuito do debate é encontrar soluções avançadas para a coletividade. Estratégias inovadoras devem ser implantadas para estimular novas formas de expansão e modernização do transporte coletivo. Em São Paulo, por exemplo, há um grande projeto para a ampliação do metrô com investimentos previstos de R$ 22 bilhões para beneficiar as linhas 5-Lilás, 15-Prata, 17-Ouro e 4-Amarela. A primeira fase vai ampliar os 74 quilômetros da malha para mais de 100 e deve estar pronta entre 2014 e 2016. A rede, que transporta 4 milhões de passageiros por dia, se expande em quatro frentes com 4.680 operários nos canteiros de obras.

Mas será que os investimentos previstos para o setor serão suficientes para pôr um fim no caos logístico brasileiro? “Com a atuação da EPL (Empresa de Planejamento e Logística), esperamos que sejam feitos bons planejamentos. Se ela condicionar leilões de expansão da oferta, os investimentos forem feitos e os ativos construídos, bem geridos, isso resolverá os problemas do setor”, afirma Carlos Cavalcanti, diretor do departamento de infraestrutura da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

 

SERVIÇO
8º Encontro de Logística e Transporte
Data: 6 E 7 DE MAIO - das 8h30 às 18h
Local: Centro de Convenções do Hotel Unique - Av: Brigadeiro Luis Antonio, 4700 – Jd Paulista – São Paulo

 

 


Federação das Indústrias do Estado de São Paulo - FIESP
Assessoria de Imprensa
Tels. (11) 3549.4731 e 3549.4602