FIESP participa da Conferência do Clima em Doha

Equipe formada por técnicos e diretores da entidade acompanha as negociações que estão sendo realizadas no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU), no Catar


A Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, que se realiza de 26 de novembro ao dia 7 de dezembro, em Doha, no Catar, deverá trazer importantes avanços na agenda climática. Esta é a expectativa da equipe da FIESP que acompanha o tema e que participa da cúpula no Oriente Médio.

 
Duas decisões deverão ser definidas em Doha: o segundo período de compromisso dos países desenvolvidos no Protocolo de Quioto, e o encerramento do LCA (Compromissos de Longo Prazo), que é o processo iniciado em Bali, em 2007, e que permitiu uma série de progressos na negociação internacional.

 
“Entendemos que é muito importante termos um novo período de compromissos para que o processo não se enfraqueça e não tenhamos uma lacuna entre o primeiro período de Quioto e o novo acordo previsto na Plataforma de Durban”, afirma o segundo vice-presidente da FIESP e coordenador do Comitê de Mudança do Clima, João Guilherme Sabino Ometto.

 
Durante a reunião preparatória para a COP18, organizada pelo governo brasileiro, há duas semanas, em Brasília, o embaixador André Correa do Lago, destacou que tais definições exigirão um interesse redobrado dos países. “A negociação de mudança do clima é uma negociação de modelo de desenvolvimento econômico. A grande questão é justamente o impacto econômico das medidas para combater a mudança do clima”, pondera.

 
A FIESP acompanhará todas as decisões tomadas durante a COP18 e analisará seus desdobramentos, com foco no setor produtivo brasileiro. “Justamente por ser uma negociação de modelo de desenvolvimento econômico, como bem disse o embaixador, as definições desta agenda impactarão sobremaneira as atividades industriais”, reitera Ometto.



Assessoria da Fiesp em Doha
Jornalista Lucas Alves
lucas.alves@fiesp.org.br e 11. 98685-6758